Escola da Fontinha: não é o princípio nem foi o fim

A luta da Escola da Fontinha continua. Há um abaixo-assinado a correr, certamente o menos importante quando se vê a quantidade de coisas que foram marcadas na assembleia de urgência que houve depois do despejo, que juntou mais de 100 pessoas.

O pessoal está a mexer-se, os moradores do Alto da Fontinha estão a mexer-se. Até a televisão tem dado conta do caso sem má-fé, em reportagens em que os vizinhos da escola explicam porque é que estão contra o despejo da malta que lá estava, a recuperar um edifício em desuso e pronta para fazer actividades culturais e educativas no bairro.

E porque a situação é de urgência, está a acontecer, também é em cima do acontecimento que o José Smith Vargas está  fazer esta BD:

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , . Bookmark the permalink.

5 Responses to Escola da Fontinha: não é o princípio nem foi o fim

  1. Pingback: Escola da Fontinha: Não é o princípio nem foi o fim #2 | cinco dias

  2. Pingback: Escola da Fontinha: Não é o princípio nem foi o fim #3 | cinco dias

Os comentários estão fechados.