solidariedade com xs réus no processo crime acerca de “a filha rebelde”. mais uma tentativa de branquear a pide.

Vamos assistir em solidariedade, em silêncio e pacificamente, com um cravo vermelho.
3 de Maio · 9:00 – 12:00. 2º juizo criminal, 3ª secção, avenida d. joão II, 10801 – edifício b. lisboa

“Dia 3 de Maio, pelas 9h15, um julgamento que nos remete para os tempos da ditadura.
Margarida Fonseca Santos (autora), Carlos Fragateiro e José Manuel Castanheira (ex-directores do Nacional D. Maria II) – somos acusados, pelos sobrinhos de Silva Pais, dos crimes de difamação e ofensa à memória de pessoa falecida. No seu entender, denegrimos a imagem do último director da PIDE com a adaptação para teatro do livro A Filha Rebelde (de José Pedro Castanheira e Valdemar Cruz), feita para o TNDM em 2007, com encenação de Helena Pimenta.
O Ministério Público não acompanhou a queixa.
Conquistámos, no 25 de Abril, a liberdade de expressão, que está agora posta em causa. Mas, mais grave ainda, esta é uma tentativa de branquear a imagem daquele que foi o responsável máximo da PIDE – a polícia política que perseguiu, torturou e matou muitos opositores ao regime, entre eles o General Humberto Delgado.” Margarida Fonseca Santos

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

6 Responses to solidariedade com xs réus no processo crime acerca de “a filha rebelde”. mais uma tentativa de branquear a pide.

Os comentários estão fechados.