Uma Cinemateca que exista

‹‹”As imagens só existem com o fogo da projecção. Contudo, é possível queimar as imagens ao interditar a sua projecção como um auto da fé de livros.” Marcel Hanoun

Aos muito lá de casa a quem a Cinemateca importa, e que lamentam as 13 sessões canceladas em Março e as 46 temporariamente suspensas em Abril, os filmes que não podem ser vistos porque os cortes no financiamento e a recente perda de autonomia -imposta pelo Ministério das Finanças- comprometem o transporte regular de cópias, o habitual programa estar reduzido a pobres fotocópias e o desdobrável apenas disponível on-line, e que lamentam e temem a interrupção do trabalho de restauro e o ANIM estar em risco e com ele todos os filmes do nosso espólio cinematográfico, por haver quem no poder ainda se pergunte se o cinema é património, a quem os filmes possam vir a faltar, encontro marcado na Cinemateca no dia 13 de Abril, à sessão temporariamente suspensa das 19h30 para pensar em formas de acção (projecções, manifestos, ocupações) pelo cinema que, no contínuo trabalho de coleccionar, preservar, documentar e apresentar, a Cinemateca permite existir.››

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

5 Responses to Uma Cinemateca que exista

Os comentários estão fechados.