No país dos fernandos II – Nilton, o mandatário.

 

“Nilton, o comediante, mandatário para a juventude e comércio de princípios da candidatura de Fernando Nobre, bem se esforça na sua página a defender a ideia de que o carácter cessa com calendário eleitoral. Que Nobre, o Nilton!”

 

Este comentário publicado na página do Facebook de Nilton, com um link para o meu post No país dos fernandos, foi censurado. A página de Fernando Nobre foi encerrada, tal era a torrente de protestos e Nilton esforçava-se por sacudir a água do capote, perante os protestos na sua própria página.

Seguiu-se uma reveladora conversa, por iniciativa de Nilton, às escondidas do seu público, onde o humorista explana a sua teoria sobre política, eleições, responsabilidade, carácter, verdade e mentira. A conversa é ainda reveladora do que significa para a vida democrática a utilização de estrelas de televisão. Nilton foi instado a repensar o que dizia. Insistiu. Aqui vai, na íntegra:

Nilton O Próprio 11/4 às 16:21
Meu caro, eu não tenho de defender nem atacar ninguém, ele a minha nada deve. Fui mandatário de uma candidatura que chegou ao fim em Janeiro, a partir daí cada um vai à sua vida. Se quer saber a minha opinião, acho que ele é que sabe o que faz. Prefiro que ele esteja a fazer alguma coisa desde que esteja bem com a consciência dele. Eu nada tenho a ver com isso. A mim nada me deve.

Pedro Penilo 11/4 às 16:38
Uma candidatura não é um sabonete. Fernando Nobre andou anos a ludibriar boa gente com a tanga da independência. O carácter e os princípios não cessam com os resultados das eleições. Votaram nele meio milhão de eleitores que podiam ter votado noutro candidato, menos “atraente”, quiçá, mas não mentiroso. Essa fraude vai-lhe ser cobrada pesadamente.
Se se deixou envolver nisto ingenuamente, é uma lição. Mas não se brinca com a vida das pessoas. A política mexe na vida das pessoas. Estou farto de salvadores. Faça o que sabe fazer e desconfie sempre que um político quiser, para seu mandatário, uma personagem mediática.
Ora eu conheço alguns personagens que trabalharam nos bastidores da candidatura de Nobre. O Nilton, suspeito que também conhece. Isso tanto pode dizer que foi endrominado, como pode dizer que havia prémio. Ou as duas coisas.
Mas, seria uma prova de grande respeito por si próprio se, considerando a dignidade com que os eleitores, que em si (também) acreditaram, devem ser tratados, se distanciar inequivocamente desta pulhice.
Talvez lhe complique a vida. Mas talvez ganhe outras coisas. Sinceramente, gostava de acreditar que tem coragem para esse gesto.

Pedro Penilo 11/4 às 16:49
Reparei agora que censurou o meu comentário. Portanto, o “Meu caro” era figura de retórica e, assim, também a minha esperança de que algo se recompusesse perdeu sentido.

Nilton O Próprio 11/4 às 16:55
Meu caro, acho que está a confundir os mails. Eu não sou o Dr. Fernando Nobre, não tenho nada a ver com a candidatura dele pelo PSD nem quero ter. Fui convidado por ele para uma candidatura à Presidência da República e por ela dei a cara, nada mais. Este já é outro filme com o qual nada tenho a ver, nem quero ter.Não me coloque num saco que não é o meu.Não tive prémios, pelo contrário, só dissabores por dar a cara por aquela campanha e sobre esta nada tenho a dizer. Ele pediu-me a opinião há umas semanas e eu disse o que tinha a dizer a ele.Sabia que ele não ia candidatar-se a Primeiro Ministro e a partir daí não estou no barco com partido nenhum, nem me diz respeito o que ele faz. Tenho de explicar-me? Porquê? O que me propus e defendi não foi esta eleição, não me ouviu apoiar ninguém agora. O Nobre não é dono dos votos e nós não somos donos dele. Mas que raio de pensamento é esse? Se sente traído é porque não leu bem as coisas. Eu sempre soube que ia parar ali. Acho que o Nobre não deveria ter dito que não embarcava em politiquices, aí errou, mas se mudou de ideias e se sente bem, bom para ele e que prove que pode mudar alguma coisa lá dentro. Eu não espero nada, não lhe devo nada, ele não me deve a mim e ponto. Fim de assunto.Era o que faltava eu ter de me explicar sobre coisas que não me dizem respeito. Eu sim, sou independente. Os outros que se expliquem pelas acções tomadas. Esse mail não é para mim, é para o Dr. Fernando Nobre

Pedro Penilo 11/4 às 17:00
Está enganado. E é mais grave o seu pensamento do que poderia parecer à primeira vista. Não se é mandatário impunemente. Não se diz que se é “independente”, “fora dos partidos” e depois, após a eleição, se faz o contrário.
Não me sinto enganado. Não votei, nem votaria nele.
Fica a saber que me sinto no direito de publicar esta conversa, posto que me censurou na sua página.

Nilton O Próprio 11/4 às 17:06
Meu caro, continuo a dizer: está a meter-me num saco que não é o meu. Nada tenho a ver com isso. Fui mandatário para uma candidatura à Presidência da República e que acabou em janeiro. Ponto! Acha que vou passar a vida a cobrar a quem a fez? Mas que pensamento mais descabido é esse? As pessoas são livres de fazerem o que lhes apetece, não concorda não vote. Eu farei a minha leitura e não tenho de lhe dizer seja o que for. Quer publicar a conversa, esteja à vontade, de fanáticos ando eu farto. Claro que apaguei o seu comentário, se é descabido e sem sentido não faz lá falta nenhuma. Crie uma página sua e coloque lá o que quiser, eu ainda sou dono da minha e se acho que me escrevem lá algo que é falso, faço o favor de apagar. Coloque-se no seu canto e deixe-me a mim no meu. Não tenho nada a ver com esta questão nem quero ter. O meu percurso é outro e garanto-lhe que não vou estar em lista nenhuma de partido algum, logo não tenho nada a ver com essa questão. Passar bem

Pedro Penilo 11/4 às 17:15
Pondere. Vou esperar umas horas por uma declaração pública sua. Penso que não tem noção da gravidade do que está a dizer. Mesmo para um comediante.

Nilton O Próprio 11/4 às 17:41
Ó Pedro (como já passámos à parte das ameaças penso que o posso tratar assim). Vejamos uma coisa. Eu não lhe devo a si explicação nenhuma, aliás, a sua última mensagem já merecia que o mandasse a um certo sítio. Não sei se pensa que está a falar com alguma criança ou se tem apenas tempo livre e resolveu tirar-me alguns minutos de vida. Ainda assim respondo-lhe porque detesto deixar coisas mal explicadas.Nunca dei a cara por nada em termos políticos. Aparece-me na vida o Dr. Fernando Nobre que teve a conversa que teve e me explicou os seus propósitos. Eu, como muitos Portugueses fartos de como as coisas andam resolvi aceitar. Fizemos a campanha com os resultados sabidos e fechou-se a porta. Se me pergunta sobre algo além disso só lhe posso dizer que nada tenho a ver com isso porque não fui eu que decidi por este caminho. A quem se sente defraudado só poderei dizer que não estou a dar a cara por esta causa, logo não posso responder. Se o Dr. Fernando Nobre acha que é mais útil ao país tomando esta atitude eu cá estarei para ver no final se ele foi útil e julgar depois. Neste momento a minha posição em relação aos partidos políticos e principalmente aos que nos têm governado não mudou. Com Fernando Nobre, sem Fernando Nobre mantenho a mesma posição. Em relação a ele é uma questão de consciência dele. Se sente que está correcto e que dorme descansado com isso, óptimo para ele. Repare que não sou mandatário desta odisseia e não tenho de emitir publicamente nenhum comentário. Se o Dr. Fernando Nobre acha que é mais útil para o país nas listas do PSD do que em casa de pantufas, então acho bem. Ele que vá desde que esteja em paz consigo próprio e que no final nos apresente resultados. Cada um que faça o seu juízo no dia dos votos ou mais tarde. Não queira que eu responda por acções de terceiros porque não o vou fazer. Como lhe disse o momento do país é o que é, se alguém resolve dar a cara é lá com ele. Só espero que seja útil ao país. Se assim for, melhor, se não for, azar e é apenas mais um triste capítulo da já triste história de Portugal. Eu espero sempre o melhor das pessoas.

 

Nilton não é um simples eleitor enganado. Tem responsabilidades. E como tal, devia ter-se demarcado do que sucedeu, apenas dois meses após as eleições e contra tudo o que na campanha foi dito. Aqui estão as suas declarações à Antena 1:

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

15 Responses to No país dos fernandos II – Nilton, o mandatário.

Os comentários estão fechados.