in between days—

Como começar? Fazer de conta que não é novo, que sempre cá estive? Engraçado como as coisas se cruzam, é sempre o dilema de se nadar em novos aquários e acabo de sair de uma semana de trabalho intensivo em Montemor-o-novo, numa residência artística com gente que conhecia mal e mal me conhecia a mim. Voltei para casa com um banquinho na mão e um sorriso. Nunca fechar o cruzamento. But for now, maybe I’ll just tune and talk to people and we’ll call it… well it will be like art.

amanda in between days.

Sobre Sassmine

evil fingering.
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 Responses to in between days—

Os comentários estão fechados.