DOMINGOS CLANDESTINOS – Movimentos perpétuos do 25 Abril, de Novembro e agora também de Janeiro.

Este domingo o programa é duplo e foi dedicado a pensar a revolução dos cravos. Do obscurantismo fascista aos dias do golpe, do PREC à contra revolução, passamos em revista alguns dos dilemas do movimento e as principais diferenças entre os projectos políticos em confronto. Partindo de textos das diferentes organizações, procurou-se perceber a natureza do MFA e as razões pelas quais a esquerda foi dormir na hora de ir para a nossa Praça da Libertação. O guião não podia ser melhor do que o Abril Traído do Francisco Martins Rodrigues e os paralelos entre o que se passou na altura e o que se está a passar no Norte de África e no Médio Oriente são fáceis de fazer. À imagem do que já havia acontecido com a homenagem às mulheres na revolução, o Clandestino de hoje presta tributo aos que em Sanaa, em Tunes ou no Cairo estão a escancarar as portas do futuro.

Descarregar PARTE I | PARTE II

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

3 Responses to DOMINGOS CLANDESTINOS – Movimentos perpétuos do 25 Abril, de Novembro e agora também de Janeiro.

Os comentários estão fechados.