Jovens comunistas detidos, insultados e despidos, “com o brio, profissionalismo e cortesia” da PSP


Finalmente, chegou a tão aguardada resposta da PSP ao caso dos jovens comunistas que foram detidos e despidos na Esquadra das Olaias por pintarem um mural. Leiam e tirem as vossas próprias conclusões. (Clique na imagem para aumentar)

E isto foi o que verdadeiramente aconteceu:

1 – Militantes da JCP foram abordados por agentes da PSP que lhes exigiram que se identificassem. Dado que não estavam a cometer qualquer crime, mas sim a exercer um direito fundamental, os menores informaram os agentes de que não tinham obrigação de se identificar. Os agentes reagiram dizendo que se eles não o fizessem teriam de chamar reforços. Mesmo não sendo obrigados, os menores exibiram os seus cartões de identificação que foram retidos pelos agentes da PSP.

2 – De seguida informaram os menores de que iriam ser detidos e levados para a esquadra da polícia. Mais uma vez os menores informaram que não estavam a cometer qualquer crime e, como tal, não podiam ser detidos. Os agentes ameaçaram que pediriam reforços para os levar. Os menores, amedrontados pelas ameaças proferidas pelos agentes de autoridade que se encontravam armados, submeteram-se inconformados à detenção ilegal.

3 – As «armas» dos menores, nomeadamente pincéis, tintas e outro material similar, foram confiscados pelos agentes da PSP e nunca mais devolvidas aos seus legítimos proprietários (JCP).

4 – Na verdade, e para grande espanto dos menores, os agentes da PSP, sem terem qualquer fundamento para tal, decidiram proceder à revista dos menores para «procurarem droga». Segundo eles os menores tinham «caras e cabelos de drogados», isto para além de serem «ignorantes», «comunistas», «artistas».

5 – A revista ilegal dos menores foi efectuada de forma irregular, vexatória e ofensiva da dignidade daqueles. Cada rapariga, incluindo a uma menor de 15 anos à data do ocorrido, foi literalmente trancada numa casa de banho com uma agente da PSP armada. Tiveram que despir toda a roupa ficando apenas em cuecas. A agente procedeu à minuciosa revista da roupa, incluindo soutiens. Enquanto isto as menores permaneciam nuas, apenas em cuecas, esperando o fim da revista das roupas.

6 – É claro que os agentes da PSP não encontraram, como bem sabiam que não iam encontrar, qualquer droga na posse das jovens. Não foram revistadas as mochilas dos menores e só foram revistadas as raparigas e não o rapaz.

7 – Só depois de todas as ilegalidades e indignidades cometidas pelos agentes da PSP contra os menores, e passadas cerca de 3 horas, se dignaram a contactar os pais informando que os filhos estavam detidos por andar a «grafitar» paredes.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

22 Responses to Jovens comunistas detidos, insultados e despidos, “com o brio, profissionalismo e cortesia” da PSP

Os comentários estão fechados.