Adeus, mestre!

Se há “fundadores de discursividade” nas artes plásticas (o que julgo ser mais que evidente), Malangatana foi certamente um deles.

E, diga o que disser este ou aquele especialista da poda, eu gosto. Muito.

Adeus, mestre.

Bayete!!

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

5 Responses to Adeus, mestre!

Os comentários estão fechados.