Afinal a estratégia repressiva no Brasil mudou: em vez de uma grande Candelária, vamos antes ter uma grande Varsóvia ou uma grande Gaza. Enfim, o futuro.

As imagens da tomada da favela do Alemão são reveladoras. Afinal ainda não mudou assim tanta coisa desde a idade média. Quem controla a terra, os meios de produção e a mão-de-obra, controla tudo. Porque será que se cala a verdade escondida da guerra do Rio? Porque é que praticamente toda a esquerda emudece a sua indignação pelo facto desta vergonha se passar com a cumplicidade de um governo dito de esquerda? Se tal estivesse a acontecer nas slums de Los Angeles, dos subúrbios de Paris ou nos musseques de Luanda ninguém calaria a o espanto dos pasmados de serviço, porque será que perderam o piu agora? Porque é que quando o assunto é o PT quase todos assobiam para o lado?

Quando o caos descer à barra da Tijuca, ou à Lapa, talvez aí se perca definitivamente a esperança em programas mínimos, em eternas concessões e em capitulações infinitas à política da esmola e à lei da bala.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

27 Responses to Afinal a estratégia repressiva no Brasil mudou: em vez de uma grande Candelária, vamos antes ter uma grande Varsóvia ou uma grande Gaza. Enfim, o futuro.

Os comentários estão fechados.