Gostaria de ter escrito isto: um perfeito e curto retrato de Mário Soares (nem lhe trocaria uma metade de uma vírgula)

«(…) Reconheça-se, aliás, que desastre nacional é matéria em que Soares é perito…

Vale a pena lembrar – quanto mais não seja para que não caia no esquecimento – que Soares é um dos grandes responsáveis pelo desastre nacional a que a política de direita conduziu o País. Foi ele que a iniciou em 1976, dando os primeiros passos da ofensiva contra-revolucionária que, de então para cá, todos os governos prosseguiram, com raivosos ataques às conquistas da Revolução de Abril; chamando para aqui o FMI (e correndo de cá com o MFA…), e enfiando a cabeça no cepo da UE; roubando aos trabalhadores e ao povo direitos fundamentais alcançados pela luta e consagrados nas leis de Abril; recorrendo à repressão brutal sobre as massas trabalhadoras; tirando o poder ao povo e colocando-o nas garras dos grandes grupos económicos e financeiros (quer dos que haviam sido sustentáculo do fascismo quer dos que a política de recuperação capitalista viria a criar); fazendo a vida num inferno aos trabalhadores e oferendo o paraíso ao grande capital; rasgando e espezinhando a Lei Fundamental do País e entregando a soberania e a independência nacional ao imperialismo norte-americano e à sua sucursal que dá pelo nome de União Europeia.

Ora este OE 2011 é bem o espelho dessa política de desastre nacional de que Soares é o pai.»

(José Casanova, “Avante”, 4 de Novembro, 2010)

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

24 Responses to Gostaria de ter escrito isto: um perfeito e curto retrato de Mário Soares (nem lhe trocaria uma metade de uma vírgula)

  1. antónimo diz:

    eu não sei se concorde, a f êzinha não gostou, mas o Casanova escreve melhor do que ela

  2. Leo diz:

    “chamando para aqui o FMI (e correndo de cá com o MFA…)”

    Magistral, desta já nem eu me lembrava!

  3. Carlos Vidal diz:

    Este texto de José Casanova é de grande importância e significado.
    Pois se e quando colapsarmos (em breve, supõe-se), esse colapso tem de ter um ROSTO, e esse ROSTO é, acima de Cavaco, Mário Soares. O expoente da catástrofe, o iniciador da catástrofe, como diz Casanova – aquele que trocou o MFA pelo FMI!!

    E mais: é preciso ainda sublinhar que as suas intenções eram tudo menos limpas JÁ desde Bad Münstereifel.

    E também não se deve parar de falar em Macau (para se clarificar o que houver a clarificar – não digo o quê, mas creio que não se deve deixar morrer nem este nem nenhum outro assunto correlativo, desde o significado do “socialismo na gaveta”; o que é também uma patranha, pois sempre houve gaveta e nunca houve “socialismo” NENHUM, NENHUM).
    E isto tem de ser dito e redito. Sem parar.

    • Antónimo diz:

      Acho Cavaco bem mais decisivo.

      • Carlos Vidal diz:

        Caríssimo, também pensei em Cavaco, o “presidente”, agora de culpas acrescidas, pois é o responsável cimeiro pela aprovação deste desgraçado OE, detestado por todos os organismos internacionais; sim, Cavaco, o Cavaco de hoje e o Cavaco dos anos 80 – como não?
        Mas, apesar de tudo, creio que Soares é que é o pai, o padrinho, o padrasto e o tio disto tudo. Acho que só lhe falta vir de novo à ribalta e culpar o “gonçalvismo”. Isso é que eu gostaria de ouvir!….

        É que nestes tempos miseráveis também precisamos de bons motivos para rirmos.

  4. Abilio Rosa diz:

    Um texto denunciador e demolidor para esse poltrão que vendeu a soberania nacional à estranja e que hipotecou o futuro dos portugueses durante as próximas duas ou três décadas.
    Esse poltrão é efectivamente um «afundador da Pátria»!

  5. 25 de Novembro sempre, comunismo nunca mais.

    Podemos estar em crise, mas pelo menos somos livres de escrever o que queremos e onde queremos e isso vale muito.

    • Leo diz:

      Somos livres de escrever o que queremos? Por aqui ou noutros blogues apenas.

      Lembro-me que no 25 de Novembro havia colunistas, jornalistas, comentadores de todas as tendências nos jornais, rádios e televisões.

      Hoje o panorama está muitissimo mais reduzido: do PS, PSD, CDS, BE encontramos por todo o lado. Do PCP e dos Verdes em parte quase nenhuma.

      Não só pelo que fizeram na resistência mas até ao 25 de Novembro e desde então o tributo dos comunistas e do PCP para a liberdade e democracia é impar.

      E provado está que foi entre 25 de Abril de 1974 e 25 de Novembro de 1975 que foi o período mais alto da liberdade de imprensa e da liberdade de expressão. Graças aos comunistas e ao PCP.

      Contra factos não há argumentos.

      • antonio diz:

        É isso…é isso… As motivações do PCP (como aliás de qualquer PC) é a a promoção da liberdade de impensa, da liberdade de expressão… no fundo da liberdade em todas as suas dimensões….
        Haja pachorra para para ouvir coisas estúpidas e ignorantes na democracia em que vivemos.

        • Leo diz:

          Sim diz bem, a liberdade e a democracia em todas as dimensões: política, económica, social e cultural. E que constam do programa do PCP e até – por obra e graça da insistência dos deputados comunistas! – na nossa querida Constituição da República Portuguesa.

  6. antonio diz:

    Abençoado Soares que impediu este rectângulo de ser mais um país miserável sob o jugo da violência comunista. Só por esse simples facto, de que é prova este elogio do Casanova e do Vidal, merceia uma estátua na Avenida da Liberdade nº 170, daquelas grandes, de 5 metros. Fónix!!!.. outro Cambodja agora na Europa Ocidental é que não….

    • Abilio Rosa diz:

      Com a «pulhítica» do Mário Alberto, Grão-Mestre do Sucialismo Vampiresco, ficámos condenados a esta vil e apagada tristeza.
      Os retornados acusam-no de ele ter «entregue» o «nosso» Ultramar a potências estrangeiras, mas a grande pulhice foi ele ter corrido com o MFA e ter ido a correr para os braços do grande capital e do imperialismo e franquear toda uma nação com quase nove séculos.
      Que a terra lhe seja pesada!

  7. Leo diz:

    Mas o Cambodja foi apoiado pelos norte-americanos, encapotadamente claro, mas por lá largaram milhões de dólares e de bombas, não está esquecido, pois não? E Soares foi também sempre o gajo dos norte-americanos.

    Daí que esteja um tanto baralhado. Acontece. As aldrabices foram tantas que às tantas até o mais fiel seguidor do Soares se enreda nelas.

    • Abilio Rosa diz:

      Leo:

      Dizes bem, o Cambodja do Pol-Pot foi apoiado pelos EUA e pela China de Mao.
      Os valentes vietnamitas é que foram libertar aquele sacrificado país, usado na luta
      dos imperialistas e dos colaboracionistas maoistas, contra a União Soviética e o Vietnam Livre.

      Quem libertou o Cambodja do terror foram os comunistas, não foram os filhos-de-puta dos americanos, que à sua conta já têm milhares de guerra neste planeta.

  8. CD diz:

    Há muitos anos que o meu sogro afirma que o PS é pior do que o PSD.
    Sempre o achei “sectário”, mas do alto dos seus 78 anos de experiência e muitas traições “socialistas” tenho de lhe dar razão. Diz ele agora que “a nossa desgraça está no PS ser governo”.
    Se o PSD fosse o protagonista das actuais políticas dos “mercados”, os dirigentes do tal PS estavam ao lado do PCP e do BE, numa frente contra este assalto neoliberal.
    Continuo a achar que o meu sogro é muito “sectário”. Mas antes a sua sabedoria e precaução, do que as “políticas modernas” do PS e do PSD que nos empurram para a miséria.

    • Carlos Vidal diz:

      Um bem haja e felicitações ao seu sogro, evidentemente.
      Ele tem toda a razão. A espécie de máfia sucialista destruiu este lugar mais do que a espécie de máfia (muito mais desorganizada) do PSD: porque o primeiro, o partido sucialista, aplicou medidas mais radicalmente liberais do que qualquer outra agremiação de interesses em Portugal; e depois porque tem muitos mais anos de poder que qualquer outra entidade. Sem discussão. Cumprimentos.

    • Leo diz:

      Soares é o exemplo genial do político aldrabão, vende-pátria, troca-tintas. Nisso é mesmo genial. Tem mais lata que qualquer outro, não tem um pingo de escrúpulos, e em primeiro lugar estão os seus interesses pessoais, em 2º lugar estão os seus interesses pessoais e em último lugar estão os seus interesses pessoais e sempre trabalhou para os seus interesses pessoais..

      Sempre cultivou um séquito de fiéis e amizades onde mais interessava: nos media, nos esquerdistas, na direita. Em todos os azimutes. Em todos os media. E continua a cultivar. Basta ver que mantém colunas em jornais e é rara a semana que não aparece nas TV’s e basta ver a deferência com que é tratado por bloquistas, gente do CDS, gente do PSD e banqueiros.

      E sempre soube donde sacar o dinheiro para si e para os seus: Alemanha, França, Países Nórdicos, Roménia, Iraque, Irão, Israel, USA. E ao OE. Já repararam quantos ministérios despacham subsídios para a sua Fundação?

      E sempre teve um inimigo: o PCP e os comunistas e nunca o escondeu. Nem esconde.

      Foi ele que acabou com a reforma Agrária. Que promoveu e abençoou a revisão da Constituição que PS e PSD aprovaram e que acabou com as nacionalizações e abriu porta às privatizações. Foi ele que convidou Jardim Gonçalves para abrir o 1º banco privado, o BCP. Foi ele que chamou Mellos, Espírito Santos e Champalimaud. Foi dele os contractos a prazo.

      Perfeitamente justificado o “sectarismo” do seu sogro. Tem memória.

  9. Pedro Pousada diz:

    Razão tinha o saudoso Àlvaro quando o avisou, ao M:S, que ele ia era receber a medalha Sá Carneiro, e recebeu-a de ouro!

  10. Carlos Vidal diz:

    Bem vindo Pedro.

  11. António Lopes diz:

    Muito a sério, fora de brincadeiras, acho sinceramente que deviam aqui começar a fumar menos substâncias ilícitas…..

    • Leo diz:

      É fácil quebrar uma única flecha, mas é difícil quebrar um feixe de dez flechas. (Provérbio asiático)

  12. Luís Antunes diz:

    Cunhal é que foi um grande aldrabão : então ele não dizia que a Rússia era o sol do mundo?

Os comentários estão fechados.