Exercer democracia popular a partir desta madrugada. Derrotar hoje o que nos há-de matar amanhã. Pintar, rasgar ou queimar. Enfim, destruir.

Como bem alerta a Diana nesta sua posta, o neo-nazismo voltou ao Marquês de Pombal. Não é muito preocupante sabendo da rápida disponibilidade das massas em esmagar o fascismo. A partir de hoje, qualquer madrugada é boa para cantar sem maneiras.

De sublinhar também o que é dito nesta caixa de comentários por dois leitores atentos ao sub-texto. A mama nacionalista tem mamilos negros e pele mestiça. Um fado da escumalha nazi que desde os tempos do abjecto austríaco de curta estatura e de bigode amputado que não encontra um ariano à altura das suas ambições.

A mama nacionalista

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 Responses to Exercer democracia popular a partir desta madrugada. Derrotar hoje o que nos há-de matar amanhã. Pintar, rasgar ou queimar. Enfim, destruir.

  1. antónimo diz:

    deve ser por isso que prefiro a mama branca das nórdicas…um tipo não é nazi e dá-lhe para estas.

  2. o da boa-fé diz:

    Mais um caso em que apenas uma boa política polpotiana traria resultados convincentes.
    Extermínio em massa desses neo-fascistas, pois claro!
    Aqui até eu me juntava com os comunistas…

Os comentários estão fechados.