Protestos com orelhas-de-burro?

Quem disse que o movimento estudantil está morto? São estas as novas lutas estudantis, pelos «direitos dos caloiros». Quem disse que ninguém se mexe para ir à rua gritar? Em 2010 faz-se «luto académico» por falta de condições para poder praxar o próximo livremente, submetê-lo, ser submisso, dar e acatar ordens,  grunhir e poder manter a tradição.

E ainda há quem diga que não é importante discutir e combater as praxes… que isso não é nada importante para pensarmos o mundo em que vivemos e o que queremos transformar nas nossas vidas.

(vejam ao minuto 3’17)

E lá estão os pinguins, Rafael, como este dirigente estudantil Guilherme Portada, filho do ex-presidente do PS da Câmara de Faro José Apolinário e apoiado pelo movimento Com Faro no Coração, liderado por um ex-PSD agora independente contra Macário Correia. Salada de cenoura e rabanete!

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

9 Responses to Protestos com orelhas-de-burro?

  1. Amélia da Foz diz:

    Esta estudantada deveria ter vergonha. Na Europa «civilizada», que cá no canto tanto queremos imitar (nos bens materiais, mas não nos comportamentos), os estudantes vão cedinho para a caminha, pois no dia seguinte há aulas às oito da manhã, e muitos têm de trabalhar durante a tarde, pois não há acomodação às mesadas da mamã, da vovó ou da titi. Por isso, o convívio é feito a partir da seis da tarde, sai-se à noite na sexta-feira e no sábado, janta-se às sete e os espectáculos são às 19h30 ou às 20h00. Pois antes da meia-noite há que estar a dormir.

  2. Renato Teixeira diz:

    “Luto académico que envolve várias situações”. Que imbecil. Aliás, que imbecis! Um grande éferreá para o Macário Correia!

  3. Joao Torgal diz:

    Este é o “luto académico” dos dias de hoje, estas são as principais bandeiras do movimento associativo da actualidade.

    Nao há nada a fazer. A buçalidade e a futilidade estão com cada vez mais força (independentemente de antes também terem estado) no Ensino Superior. Só falta, como apogeu do ridículo, um ENDA aprovar um voto de solidariedade para com os bravos e resistentes estudantes da Universidade do Algarve.

  4. Estamos todos muito velhos.

    No meu tempo no Técnico acabámos com essas m#$%&s todas, ajudámos o pessoal da AAC a fazer o mesmo, os gajús do Porto não precisaram sequer de ajuda.

    Mas dá ideia que a coisa vem por ciclos, aparentemente terá rescuscitado…

    🙁

  5. João Ferrão diz:

    Há dois anos escrevi isto (http://diferencial.ist.utl.pt/?p=351#more-351) no jornal do IST, a propósito disto (http://diferencial.ist.utl.pt/?p=347#more-347). Modéstia à parte, julgo que se mantém actual. 🙂

  6. E Joao Torgal a menos que akilo tenha mudado, o reitor da Univ. do Algarve é um dos meus amigos de antanho.

    A menos que ele tenha mudado muito, aposto que ele olha para isso com o sorriso de desprezo que sempre foi a sua marca de casa.

    Se calhar não pode/deve faxer nada perante a investida da jubentude

    🙁

  7. cd diz:

    Ora aí está uma justa causa para uma manif.
    Sem empregos, sem rendimentos e raro futuro, mas com festa

  8. dan.i.ela diz:

    E lá estão eles com o luto académico, será que é para justificarem andar de negro por baixo deste sol quente?

  9. M. Abrantes diz:

    Com o topo da pirâmide da educação, e da governação e representatividade do país, no estado de degradação em que está, as pessoas esperam dos cidadãos de 18 anos exactamente o quê e com que fundamento?

Os comentários estão fechados.