Nem sem merdosos os comemos! [actualizado]

Carlos Queiroz não anda a treinar a selecção e está meio mundo preocupado com isso. Ou muito me engano, mesmo quando está a 100%, a sua importância para a táctica da selecção equipara-se à do tipo que ouve o relato do jogo que já viu, numa daquelas radiofonias retro dos 70′. Hoje, todos vão dizer que a culpa da selecção ter jogado em equipa foi a ausência do “professor” mas os méritos de terem, vá, trocado a bola, são do jogador do Maiorca que lesionou o Cristiano. Bendito seja. Deve ter visto este anúncio antes de lhe dar a sarrafada. Só pode.

Viva “o Portugal”!

Aproveito para chamar pela Morgada. Nesta tasca não se consegue falar nem de gajas nem de bola com a sua ausência prolongada.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

6 Responses to Nem sem merdosos os comemos! [actualizado]

  1. Abilio Rosa diz:

    Quando o super-puto não joga normalmente Portugal ganha…

    Mas da forma como a selecção está esfrangalhada, o melhor seria pôr o sebáceo Laurentino a dar a táctica.

    Pelo menos não podíamos acusar que a selecção de estar em «piloto automático»…

  2. Admito que se possa não gostar do Carlos Queiroz, mas existe uma diferença básica entre ele e essa gente, incluindo o gordalhufo das bombas de gasosa de Braga:
    há gente que tem currículo, e outros que são funcionários públicos, tipinhososos que eu não sei quem são mas parece que ajudo a sustentar.

    Nem quero saber do que aconteceu ou não, e se “interessa ao país” a mim não, vou mesmo emigrar e pedir outra nacionalidade rápidamente…

  3. Carolina diz:

    Queres comer o Ronaldo? O camarada Renato também é “gay”?

  4. Renato Teixeira diz:

    Infelizmente Carolina… infelizmente.

    Alvega, Queiroz e Currículo podem aparecer na mesma frase? Para lá do jovens de Riad ganhou algo que não fosse pela mão do Sir Ferguson?

    Abílio, não vamos escolher entre um Laurentino e um Queiroz. Por favor. Isso é quase como escolher entre um Alegre e um Cavaco… Vai lá vai.

  5. Simpático. Gostei muito da tua entrevista ao Fisk. Agora podemos voltar a ser inimigos?

  6. Renato Teixeira diz:

    Pão, pão, queijo, queijo. Bom regresso “camarada inimiga” Morgada. 😉

Os comentários estão fechados.