FBAUL Рfinalistas de Pintura exp̵em-se: para ver a partir de amanḥ

Trata-se aqui de chamar a atenção para a exposição anual de alunos finalistas do curso de Pintura da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, a inaugurar amanhã no Palácio Galveias (junto ao Campo Pequeno e CGD-sede), às 21h, e que se manterá para visita até 22 de Agosto. Segue-se excerto do meu texto, no catálogo:

“(…) exposição proposta pelo colectivo de alunos finalistas de Pintura da Faculdade de Belas-Artes de Lisboa, correspondente ao concluído ano lectivo de 2008/2009. Este tipo de exposição surge sempre como prova organizativa e balanço prospectivo dos alunos, na sequência de conteúdos programáticos (constantes quer de Escultura, quer de Pintura) que referem a fase final da formação escolar como um momento propício à avaliação individual e proposta de um discurso personalizado, em suma uma «totalidade» amadurecida aqui apresentada como desejável confronto entre colegas, professores, espectadores vários, etc.

Além do mais, sublinhe-se, este ano e este conjunto de alunos-artistas surgem aqui como representantes do último ano em que a disciplina de Pintura foi ainda anual, portanto anterior à aplicação das novas regras do Processo de Bolonha, que introduziria a semestralidade em praticamente todas as disciplinas da licenciatura (desde o primeiro ano). Nova dinâmica se segue mas, dever-se-á dizer, idêntica exigência de maturação.

Daí que esta exposição de finalistas seja, como continuarão a ser as seguintes, uma justaposição de opções e vias individuais, sendo o seu critério curatorial a apresentação de um colectivo de pessoas que durante um ano trabalhou em partilha de ideias, opiniões e espaços.

Trata-se de um balanço de actividades num momento em que os alunos-artistas já não operam em rígidas fronteiras disciplinares nem numa separação de blocos escola/exterior/mercado/crítica, pois estão, muitos deles, conscientes das necessidades profissionais e do tipo de circulação que melhor responde às suas opções. Tudo isso sairá clarificado e aqui demonstrado numa medida, digamos, directamente proporcional à disparidade de propostas sugeridas.

Disparidade, singularidade, unidade e contradição. (…)

Na impossibilidade de nomear e analisar todas as obras, destacaríamos alguns tópicos: vemos motivações de tipo performativo (ligado ou não ao vídeo), formal/formalista, ligadas a uma auto-suficiência da linguagem pictórica de filiação matérica, nalguns casos radicalizada; outras vezes, o materismo torna-se mesmo objecto, e este vira suporte de intervenções estruturais, mínimas, explorando relações de luz-sombra; prolongam-se referentes tradicionais, como a abordagem ao corpo e à figura ou à paisagem, em vocabulário renovado (sempre que possível); ainda diversas experiências com imagem em movimento, processos narrativos em suporte fotográfico, instalações, abordagens fotográficas livres, situações ambíguas entre a “coisa” parietal e espacial, e mais um evidente “etc.”

Construindo a sua leitura pessoal a partir desta diversidade de propostas, confirmará o espectador que qualquer enumeração escrita ou qualquer cartografia desta diversidade ficará aquém do apresentado e directamente experimentado in loco.»

A não perder, de forma alguma.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 Responses to FBAUL Рfinalistas de Pintura exp̵em-se: para ver a partir de amanḥ

  1. Isso, sou também mais d’alguma forma em Fluxos, Instalação, Performance, Body Art, Fotografia e Video, ensina-me-os, mas com cuidado. Qual é mesmo a licenciatura? Enquando as atitudes se tornam forma, não? A praia tem estado tão agradável…

  2. Carlos Vidal diz:

    Qual praia, qual praia, grande Jecta?
    A do Moledo?, a de Pedro e Inês?
    Referes-te a essa?
    É boa, é boa.
    Fresca, fresquinha e ventosa.

  3. Isso, essa em bom sem a diferença, identidades e coisas mentalóides. É apenas uma praia.
    Gostei da dos vocabulários renovados, mas faltou-te o dispositivo.
    Finalistas a fazer experiências? E Pesquisa e Investigação? Sempre em Work in progress, não?
    Boa, imagino as dozes de expressionismo abstracto e tal, um regalo pró conteúdo.

  4. e já me esquecia do ” mapear ” esta foi por vias da cartografia. E do Lev Manovich, não há nada?

  5. almajecta diz:

    e de comunicação divulgatória? e o espectador? o curador o curador, não esquecer logo seguido da agência de consultadoria e comunicação mediática para si.

Os comentários estão fechados.