IEFP faz desaparecer no mês de Maio 50.782 desempregados dos ficheiros dos centros de emprego e assim baixa o desemprego registado em 1,8%

O  desemprego  registado  que  é  aquele  que  o  Instituto  de  Emprego  e  Formação  Profissional (IEFP) divulga mensalmente não corresponde à totalidade dos desempregados existentes no País. Para além disso, está sujeitos a fáceis acções de manipulação politica como rapidamente se pode concluir.
O  desemprego  registado  inclui  apenas  os  desempregados  que  tomaram  a  iniciativa  de  se inscreverem  nos  Centros  de  Emprego.  Portanto  os  desempregados  que  não  se  inscreveram nos  Centros  de  Emprego  não  constam  do  desemprego  registado.  E  estão  obrigados  a  se inscreverem nos Centros de Emprego apenas os que recebem subsidio de desemprego. E em Abril de 2010, últimos dados disponibilizados pelo Ministério do Trabalhado e da Solidarieadde Social, era apenas 371.131.
Para  além  disso,  todos  os  meses  são  eliminados  dos  ficheiros  dos  Centros  de  Emprego milhares  de  desempregados.  E  apesar  de  ter  sido  solicitado  por  várias  vezes,  inclusive enquanto estivemos como deputado na Assembleia da República, que o IEFP passasse incluir, por  uma  questão  de  transparência,  na  informação  sobre  o  mercado  de  emprego  que  divulga mensalmente as razões que levam à eliminação de um número tão elevado de desempregados dos ficheiros dos Centros de Emprego, O IEFP sempre  se tem recusado a fazê-lo. E como diz a sabedoria popular só se teme divulgar a verdade quando se tem alguma coisa a esconder.
Igualmente no mês Maio de 2010, cujos números do desemprego registado acabaram de ser divulgados, também foram eliminados dezenas de milhares de desempregados como revela o quadro seguinte construído com os dados do IEFP.

No período compreendido entre 1 Janeiro e 31 de Maio de 2010 inscreveram-se nos Centros de Empregos 300.907 desempregados que somados aos 524.674 que existiam registados no dia 1 de Janeiro dá 825.581. Se a este total retiramos todos os desempregados que o Centros de  Emprego  conseguiram  arranjar  trabalho  (os  chamados  “colocados)  que  somam  28.343, como  mostram  também  os  dados  do  quadro,  ainda  restam  797.238.  Era  este  o  total  de desempregados que devia existir em 31.5. 2010. No entanto, o IEFP acabou de divulgar que existiam no fim de Maio apenas 560.751 desempregados inscritos nos ficheiros dos Centros de Emprego. Isto significa que neste período de cinco meses foram eliminados dos ficheiros dos Centros  de  Emprego  236.487  desempregados.  E  o  grave  é  que  o  IEFP  se  recusa sistematicamente  a  divulgar  as  razões  que  levaram  o  Instituto  a  eliminar  um  numero  tão elevado de desempregados dos seus ficheiros criando, por essa razão, ainda maiores dúvidas sobre a credibilidade dos dados que publica.
Se a análise passar do período constituído pelos últimos 5 meses para apenas o mês de Maio as  duvidas  aumentam  porque  o  numero  de  desempregados  eliminados  dos  ficheiros  dos Centros de Emprego aumentou também relativamente aos meses anteriores como mostram os dados da último coluna à direita do quadro.
No inicio de Maio de 2010 existiam inscritos nos Centros de Emprego 571.754 desempregado, que  é  o  numero  que  transitou  do  mês  de  Abril.  Durante  o  mês  de  Maio  inscreveram-se  nos Centros  de  Emprego  mais  48.101  desempregados,  segundo  a  Informação  Mensal  publicada pelo IEFP, o que somado ao total de desempregados que existiam no inicio do mês – 571.754 – dá 618.869. Se a este total se retirar os desempregados colocados durante o mês, ou seja, aqueles que os Centros de Emprego conseguiram arranjar trabalho durante o mês de Maio que foram 7.336, de acordo com a Informação Mensal do IEFP, restam 611.533. Era este o total de desempregados que deviam existir inscritos nos Centros de Emprego no fim do mês de Maio. No  entanto,  o    IEFP  divulgou  que  existiam  inscritos  nos  ficheiros  do  mês  de  Maio  apenas 560.751  desempregados.  Isto  significa  que  foram  eliminados  durante  o  mês  de  Maio  dos ficheiros  dos  Centros  de  Emprego  50.782  desempregados,  eliminação  esta  que  o  IEFP  não divulga qualquer razão o que torna os dados do IEFP pouco credíveis. E a duvida aumenta se se  tiver  presente  que  esta  eliminação  é  superior  à  dos  meses  anteriores,  o  que  leva  à conclusão que as eliminações estão sujeitas a flutuações de acordo com causas que também não são explicadas e transparentes. E isto quando fontes oficiais de muito maior credibilidade
técnica, como é o INE, o Eurostat e a OCDE apontam o continuo aumento do desemprego em Portugal.
É evidente que estes dados divulgados pelo IEFP convêm ao governo pois foram logo utilizado pela propaganda governamental para branquear a grave situação do desemprego em Portugal, e o IEFP está sob a tutela desse mesmo governo.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 Responses to IEFP faz desaparecer no mês de Maio 50.782 desempregados dos ficheiros dos centros de emprego e assim baixa o desemprego registado em 1,8%

Os comentários estão fechados.