Marxismo ao vivo


– É o Carlos Marques a apresentar o Fazenda?

Debater o socialismo e como os seus pensadores o conceberam é o que a CULTRA propõe para o mês de Maio, e até 8 de Junho. Às terças, às 21 horas, a Livraria Ler Devagar, inserida na Lx-Factory em Lisboa – esse antigo espaço industrial recuperado para a Cultura – recebe um orador que se debruça sobre um pensador, a sua acção, as suas reflexões. Os pensadores, a quem poderíamos chamar «founding fathers» do pensamento socialista mundial, deixaram uma marca indelével na história das revoluções nos séculos XIX e XX, onde foram quase sempre actores importantes: Marx, Lenine, Trotsky, Rosa Luxemburgo, Antonio Gramsci e Mao Tsé-Tung.

Assim, logo a 4, o deputado do Bloco de Esquerda (BE) Luís Fazenda abrirá este ciclo com Marx; seguir-se-á V. I. Lenine, a 11, pela voz de Stathis Kouvélakis, professor no King’s College em Londres, doutorado em Ciência Política e com um percurso académico centrado em Marx, na tradição do pensamento marxista – que Lenine se propôs levar à prática – na história das revoluções e na teoria política.
Pensar o Socialismo, hoje

A 18 de Maio o debate será em torno de outra figura central, como L. Trostky, cujo pensamento e percurso Francisco Louçã conhece bem. Convém lembrar que o deputado do BE é, ainda, professor no Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa, e um conhecido autor sobre temas como a Revolução ou as crises do capitalismo.

Rosa Luxemburgo irá ser a personalidade que se segue, a 25 de Maio, com uma conferência de Michael Löwy. O actual director de pesquisas do Centre National de la Recherche Scientifique (Paris) cruzou-se, nos corredores da universidade, com autores como Roberto Schwarz, de quem foi colega, Lucien Goldmann e Nicos Poulantzas – estudou sob orientação do primeiro e foi assistente do segundo. E, claro, entre a muita produção académica de Löwy incluem-se reflexões sobre a protagonista da conferência de 25 de Maio – aquela que, com Karl Liebknecht, viria a fundar o Partido Comunista da Alemanha, tendo participado directamente nos levantamentos revolucionários naquele país em 1918 e 1919.

O mês de Junho começa, para a CULTRA, com uma conferência sobre Antonio Gramsci. Dia 1 caberá a Chris Bambery, membro do comité central do Partido dos Trabalhadores Socialistas britânico e editor do semanário Socialist Worker falar sobre um dos líderes do Partido Comunista Italiano desde a sua fundação,em 1921. Dia 8, o ciclo de conferências encerra com Mao Tsé-Tung: o percurso do dirigente comunista chinês vai ser apresentado por Fernando Rosas.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 Responses to Marxismo ao vivo

  1. Pingback: Tweets that mention cinco dias » Marxismo ao vivo -- Topsy.com

Os comentários estão fechados.