Como diria o nosso Sartre só um cão ou quiçá um canalha não percebe verdades destas, não é certo? (Até porque isto não deve gerar uma discussão ideológica, é matéria de facto, provada)


(Com um postal do Vale do Ave)

Entre 1987 e 2008, os governos de Cavaco Silva, Guterres, Durão Barroso e Sócrates, procederam à privatização maciça de inúmeras empresas públicas, obtendo uma receita de 28.039,6 milhões de euros a preços nominais. No entanto, no mesmo período, a Divida Pública passou de 19.049,4 milhões de euros para 110.346,6 milhões de euros, ou seja, aumentou 5,8 vezes (+ 91.297,2 milhões de euros). Até 2013, o actual governo tenciona privatizar totalmente cinco empresas (INAPA, Edisoft, EID, Empordef, Sociedade Portuguesa de Empreendimentos) e parcialmente sete empresas (GALP, EDP, TAP, CTT, ANA, Companhia de Seguros Fidelidade-Mundial e Império-Bonança, e EMEF), e arrecadar desta forma cerca de 6.000 milhões de euros. No entanto, em 2013, o governo prevê no PEC: 2010-2013 que a Divida Pública atinja 89,8% do PIB o que corresponde a cerca de 163.860 milhões de euros, ou seja, mais 53.513,5 milhões de euros do que em 2008, e mais 144.811 milhões de euros do que em 1987. É claro o fracasso desta politica de venda de empresas públicas para resolver o problema do aumento rápido da divida pública.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

9 Responses to Como diria o nosso Sartre só um cão ou quiçá um canalha não percebe verdades destas, não é certo? (Até porque isto não deve gerar uma discussão ideológica, é matéria de facto, provada)

  1. Pingback: Tweets that mention cinco dias » Só um cão ou um canalha não percebe verdades destas, não é certo? (Sim, até porque isto não deve gerar uma discussão ideológica, é matéria de facto, provada) -- Topsy.com

Os comentários estão fechados.