Cicuta com chá é que faz bem

Dr. Medina Carreira continua a defender o habitual: cortar nos salários e pensões. Para ele, não há outra forma de fazer austeridade. Dizem que menos salários e menos pessoas no sector público significam menos despesismo. Escondem-nos que na prática significam menos médicos, menos professores, menos continuos, menos enfermeiros, menos polícias, menos bombeiros, menos gente a limpar as ruas, muito menos gente a trabalhar. Como é possível recuperar um país acabando, por exemplo, com a educação e a saúde e diminuindo o número das pessoas que trabalham? São as habituais lenga-lengas dos neoliberais. É à conta dos remédios deles que estamos na crise em que estamos. Há anos que a Europa e o mundo tomam estas pastilhas. O resultado está à vista.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.