Não se pode substituir as eleições pelas sondagens cor-de-rosa do Rui Oliveira e Costa?

Depois de uma recente sondagem da Euroexpansão garantir que o PS e Sócrates aumentava de popularidade, vieram os barómetros da Marktest e da Aximage. A queda de Sócrates e do PS é a pique. Os pobres assessores da Câmara Corporativa que salivaram com os números criativos de Rui Oliveira e Costa, encontram-se na situação daqueles accionistas da Enron que acreditavam na contabilidade martelada da mesma. Bem-vindos ao deserto do real.
Não seria a altura de os militantes do PS pedirem o partido de volta e correrem com a clique do primeiro-ministro que caniballizou o partido para servir os seus interesses pessoais? A alternativa que escolheram parece-se demasiado com aquele tipo que se atirou de um arranha-céus e que vai dizendo: ‘até agora vai tudo bem´.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 Responses to Não se pode substituir as eleições pelas sondagens cor-de-rosa do Rui Oliveira e Costa?

Os comentários estão fechados.