Fernando. Nobre?

Não é o melhor candidato para o que defendi aqui mas devo confessar que gostei da sua matreirice inaugural. É tão vaidoso como Alegre (mais é impossível) mas assim à primeira vista tem uma série de virtudes:

1º- Entala o Manuel Alegre à sua esquerda.

2º- Ridiculariza do Bloco de Esquerda que das duas uma: ou dá o dito pelo não dito e muda de candidato ou mantém o apoio ao candidato do governo. (por falar nisso, confirmei com fontes obscuras que Alegre é o candidato oficial do PS).

3º- Pressiona o PCP para uma candidatura não sectária. Cair na tentação de avançar alguém demasiado ligado ao aparelho seria um erro para a esquerda e uma oportunidade perdida para a CDU.

4º- Nunca será um candidato do governo e do PS.

5º- É conhecido por algo mais substancial do que ser um mau deputado e um poeta medíocre.

6º- Cria pontes com o movimento social.

7º- Contrapõe uma visão internacionalista ao patrioteirismo balofo de Cavaco e Alegre.

8º- Não dedicou os últimos anos da sua vida a preparar uma corrida a Belém.

9º- Tem uma perspectiva crítica sobre a máquina que alimenta.

10º- Deixou o oportunismo à beira de um ataque de nervos.

Veremos se Fernando se faz Nobre e se junta à aristocracia Alegre ou se vem acrescentar algo de novo.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

36 Responses to Fernando. Nobre?

  1. Pingback: cinco dias » Das conspirações

Os comentários estão fechados.