Ao Cair do Pano

“O movimento do comunismo é anti-heróico. Os heróis mantêm-se afastados da comunidade, atraem para si mesmos a força comunitária da acção. A tradição revolucionária está repleta de heróis, pessoas que se sacrificaram pela revolução, pessoas que abandonaram esposas, filhos, amigos, para dedicar-se desinteressadamente a mudar o mundo, enfrentando privações e perigos físicos, muitas vezes até enfrentando a tortura e a morte. Ninguém negaria a importância dessas figuras e, no entanto, há algo muito contraditório na ideia de uma revolução heróica ou, inclusive, na ideia do herói revolucionário. O objectivo da revolução é a transformação da vida comum, quotidiana, e é certamente dessa vida comum e ordinária que a revolução deve surgir. A ideia da revolução comunista é criar uma sociedade em que não sejamos conduzidos, em que todos assumamos a responsabilidade, portanto, o nosso pensamento e as nossas tradições devem mover-se em termos de não-líderes e de não-heróis.”

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

12 Responses to Ao Cair do Pano

  1. Pingback: cinco dias » Heroísmo, Organização e Vida Ordinária

Os comentários estão fechados.