As agruras de um assessor de imagem

Tem sido difícil. Estes meses foram mortais. A escolha do candidato das europeias foi um tiro de bazuca. Como de costume, contratam-me tarde e a más horas. Os cartazes já melhoraram, mas o resto é um desastre. O episódio da PT foi mais um tiro no navio almirante. O que vale é que a necessidade aguça o engenho. Depois do episódio do Pinho no parlamento decidi tomar medidas radicais. Está a ser um verdadeiro calvário. Foram horas intermináveis de media training, quase partia o mobiliário a ver tanta falta de jeito. Mas valeu a pena: A Maria Lurdes Rodrigues, o Jaime Silva e até o Mário Lino já conseguem fazer corninhos com os dedinhos. O governo está salvo, estamos mais perto de ganhar as eleições. Por via das dúvidas, já convenci aquele gajo que veste a versão Prada dos fatinhos Maconde do Pedro Silva Pereira a ensaiar o gesto.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 Responses to As agruras de um assessor de imagem

  1. joao diz:

    Estás inspirado…

  2. is a bel diz:

    “versão Prada dos fatinhos Maconde” , NRA cada dia mais perto de ter um MacBoook pro. (risos)

  3. Talvez falte só o “Olé!”

  4. marrmoud diz:

    Quem?,o boquinhas da Opus Dei essa grande organização democrática formadora de ladrões nos CA,vulgo ‘elites’?
    Já agora quero agradecer à santa madre igreja a colectânea de doutorados em rapinice dessa concorrente da mafia…

Os comentários estão fechados.