Politólogo rima com astrólogo ou monólogo?

O politólogo é uma classe profissional que inclui o grupo de comentadores políticos que circula por toda a comunicação social e que ainda não é director de alguma coisa no meio. Normalmente dedica-se a falar sobre o que não vemos e a prever o futuro. O politólogo declara-se constantemente independente e explica-nos a realidade de acordo com a visão do partido do bloco central que defende. A realidade tende a não lhe dar razão. Mas o politólogo é da mesma família dos que fazem as sondagens, por isso tem sempre razão.
Que Ferreira Leite na entrevista à SIC Notícias esteve sempre com um sorriso, todos vimos. Para politólogo do PSD esse é um sinal de descontracção, para o resto dos mortais, o trabalho de uma agência de comunicação.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

13 Responses to Politólogo rima com astrólogo ou monólogo?

  1. P.Fragoso diz:

    Diga lá nomes de politólogos que sejam comentadores políticos. Lembro-me de quatro: Marina Costa Lobo, Pedro Magalhães, António Costa Pinto, André Freire. E até aparecem pouco. Chamar politólogos a todos os que aparecem na tv a comentar política é não perceber nada de Ciência Política nem da função de politólogos.

  2. yussuf diz:

    Tiago, qual agência de comunicação? Diga-me se acha, sinceramente, que MFL aceitaria que alguém lhe dissesse que teria que sorrir mais. Que sorrindo, transparece simpatia e, por artes mágicas, ganha votos. Acha que o colar de pérolas – que ontem usava – resultou de um diálogo com a agência de comunicação: “Ah, está bem, eu sorrio, mas então se sorrio, uso o colar, troca por troca, quid pro quo”. Ou o colar de pérolas resulta de outra coisa que não um gosto especial da senhora em usá-lo, como as senhoras usam jóias (e bem bonito era o anel que MFL usava ontem, não sei se reparou). As senhoras arranjam-se, e arranjam-se mais quando vão à televisão. Uma senhora, qualquer senhora, tem o seu quê de vaidade, uma vaidade “natural” (não uma vaidade parola de fatiotas a 5 mil dólares comprados em loja onde o nome do cliente se publicita na montra). MFL é uma senhora, que tem noção das coisas. Tem noção de que está a ser vista por muitas pessoas e por muitos potenciais eleitores. Tem noção que imagem tem que dar de si. MFL sorriu, so what? Querer interpretar o sorriso de MFL é reduzir tudo ao mais insignificante dos pormenores, à espuma da irrelevância. Dos politólogos quero lá eu saber se perdem ou não tempo com essa irrelevância. O povo que dá vitórias eleitorais certamente que também não.
    Mas de qualquer forma, obrigado pelo seu post. Revela que, efectivamente, esta eleição vai ser um non sense pegado e que sempre haverá malta – politólogos wanna be trepadores para o poleiro – disposta a discutir-se tudo, mas tudo, aquilo que não interessa.

  3. P. Fragoso, então vamos lá discutir sobre a “função dos politólogos”. Sou todo ouvidos.

  4. yussuf, acho. Acho sinceramente que a imagem e as notícias sobre Ferreira Leite começaram a ser trabalhadas.

  5. yussuf diz:

    Tiago,
    não tenho ainda essa sensação. Sei que o iluminado do Agostinho Branquinho (tanto inho, eu sei, que enjoo!) “dá uma ajuda” nos cartazes e ter-se-á lembrado do contacto da “linha do suicídio” na segunda vaga de outdoors que antecederam um Rangel em pose marialva, mas daí a haver mais alguém para além da assessoria de imprensa e dos funcionários do partido a “trabalhar imagens e notícias”… Vou estando atendo, para já parece-me ainda tudo “real” e pouco fabricado, mas…

    Pergunta: acha que o sorriso de MFL é uma alteração comportamental assim tão notória que possa ter algum efeito eleitoral?

  6. IO diz:

    A senhora sorriu porque estava feliz… o Socrates não pára de lhe dar razões para sorrir..

  7. yussuf, repare que também as empresas de sondagens se começam a adaptar: http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=1277080
    Daqui até às eleições a mensagem será clara, bipolarizar, bipolarizar, bipolarizar…

  8. P.Fragoso diz:

    Tiago,

    Consulte uma livraria, uma biblioteca, ou outro qualquer espaço com livros, e procure a secção “Política”. A editora Imprensa das Ciências Sociais oferece uma gama bastante alargada de trabalhos de politólogos. Desde sondagens, reformas de sistemas eleitorais ou mesmo estudos científicos sobre vários temas, encontra lá imensos casos do que fazem os politólogos. Recomendo dois livros: um chama-se “Esquerda e Direita em Perspectiva Comparada”, André Freire. Outro pode ser o da Marina Costa Lobo, “Governar em Democracia”. Há ainda outro muito bom do António Costa Pinto sobre o presidencialismo que agora me escapa o nome.
    Se os ler vai perceber o que é o trabalho de um politólogo. Muito diferente de Pachecos Pereiras ou Luis Delgados.

  9. ms diz:

    Tiago: “P. Fragoso, então vamos lá discutir sobre a “função dos politólogos”. Sou todo ouvidos.”

    A Ciência Política estuda, analisa, descreve, compara e sistematiza metodologicamente os fenómenos políticos. Além dos nomes referidos, acrescento o do notável comunista Luís Sá (1952-1999) e mestre em Ciência Política.

  10. Mas quem é que falou em Ciência Política?

  11. P.Fragoso diz:

    “O politólogo é uma classe profissional…” O politólogo é aquele que se ocupa da Ciência Política.

  12. Pingback: cinco dias » A opinião certa revela a oportunidade

  13. yussuf diz:

    Bipolarizar, claro. Concordo em absoluto. Obrigado pelo link (já tinha visto a notícia), a observação faz todo o sentido.

Os comentários estão fechados.