IDENTIFICAR e PUNIR

manet2

Manet. “Execução de Maximiliano”. 1867

 

“(…) crime contra a liberdade e a integridade moral e física, e portanto de caso de polícia. (…) é de lamentar que a bateria de jornalistas presente no local não tenha tido a presença de espírito – e a coragem – de questionar agressores e injuriadores. Mas as autoridades teriam decerto a maior facilidade em identificar os envolvidos a partir das muitas imagens de TV disponíveis. (…) Não é o facto de Vital Moreira não ter tido necessidade de receber tratamento hospitalar e ter saído pelo seu pé da zona de perigo que torna menos grave e menos ilegal o que se passou ou afasta a necessidade de tornar claro que agredir e injuriar são crimes previstos pelo Código Penal, agravados pelo facto de, claramente, terem sido cometidos por ódio político (agravamento previsto desde 1995). (…) fascismo, pressão e perseguição foi o que sucedeu neste 1º de Maio, com gente a arvorar-se em polícia política a coberto do anonimato e da cobardia do número, num linchamento simbólico. (…) Porque o contrário do fascismo é a democracia, não é outro totalitarismo qualquer.”

Mas há alguém que não consiga identificar, de imediato, a autoria desta prosa de bravura democrática? É preciso link??

Como é que se consegue escrever isto, ter orgulho nisto (duas vezes publicado, em jornal e blogue) e andar com isto dentro da cabeça durante uma semana?

 

manet3

Manet. “Execução de Maximilano”. 1867

 

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

28 Responses to IDENTIFICAR e PUNIR

  1. Pingback: cinco dias » Está confirmadíssimo: iremos todos prá cadeia

Os comentários estão fechados.