O ditador, o porco e a tuna

Excerto do programa de comemorações do 25 de Abril da Câmara Municipal de Santa Comba Dão:

17h00

Inauguração da Requalificação do Largo António de Oliveira Salazar
com porco no espeto e actuação da Tuna Santo Estevão
Local: Largo em frente à Junta de Freguesia de Santa Comba Dão

Programa

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 respostas a O ditador, o porco e a tuna

  1. Só falta a exibição da pornochachada “as mulheres de salazar”.

  2. Paulo Jorge Vieira diz:

    se estivesse na santa terrinha – Mealhada – ainda dava um pulo a Santa Comba para me “manifestar” contra tal acto comendo uma boa sandocha de porco assado no espeto! que deverá ser acompanhada de um belo tinto do Dão, imagino!

  3. Luis Rainha diz:

    És o maior, J. Porque é que apareces por aqui tão pouco?

  4. maria diz:

    Quando ouvi a notícia sobre esta inauguração, senti algum desconforto. Mas depois pensei: será que isto nos merece alguma indignação ou protesto? Penso que não. Esta inauguração apenas evidencia que os salazaristas não desapareceram com o fim do Estado Novo. Muitos até, nasceram após o 25 de Abril. Achar o contrário, é viver na ilusão de que a democracia foi um acontecimento feliz para todos. Deixai-os aparecer, escrever, opinar, recuperar largos, fazer museus, viver às claras e sem a clandestinidade de outros tempos. Não lhe atirem tomates; comprem antes cravos e celebrem (apesar de por vezes, demasiadas vezes, eu achar que esta democracia tem as suas raizes apodrecidas).

  5. Chico da Tasca diz:

    Maria explique-me qual a diferença entre um fascista e um comunista, aliás comuno-fascista. É que, a haver diferença, ela beneficia largamente o fascismo uma que que o Comuno-Fascismo é muito mais tirânico e muito mais repressivo.

    Portanto, se os Comuno-Fascistas andam para aí no parlamento a parasitar a Democracia, porque motivo os salazaristas não o podem fazer ?

  6. Luis Rainha diz:

    Chico,
    Pense no Mário Machado e no Jerónimo de Sousa. Depois, pense em skinheads. Em festivais com bandas que cantam coisas como “you gonna die tonight, horrible jew”. Ou em cartazes a pedir a deportação dos imigrantes. Pode ser que comece a entender que, aqui e agora, há um mundo de diferenças.

  7. maria diz:

    Chico da Tasca,
    Como não sou uma coisa, nem outra, não serei a melhor pessoa para lhe explicar. De todo o modo, se os salazaristas forem a votos (costumam ir, não costumam? Acho que há ou havia alguns no CDS/PP e também naquele partido nacionalista liderado pelo rapaz do olho azul) e receberem os votos suficientes dos eleitores, podem ter representação no Parlamento. A liberdade de voto, pelo menos, ainda existe neste país.

Os comentários estão fechados.