A mente torturada de Nuno Gouveia

thumbscrew2

Para o imperdível Nuno Gouveia, há algo de muito errado com a prática da tortura por uma democracia: falar-se disso. Num post intitulado «A irresponsabilidade da Administração Obama» ele queixa-se de um «problema causado por Obama»: «utilizar os serviços de inteligência para fins políticos.»
É que, como todos sabemos, «a tortura não deve ser método de uma democracia tratar os seus criminosos, e os Estados Unidos não a devem utilizar como ferramenta usual. Mas os serviços secretos (e só estes) devem ter alguma liberdade de acção para enfrentar lunáticos como Abu Zubaydah ou Khalid Sheikh Mohammed.» Ficamos sem perceber porque é que a polícia não pode usar a tortura para salvar vidas de inocentes. Ou como é que os “criminosos” domésticos, mesmo os serial killers, estão a salvo de práticas que afectam gente presa sabe-se lá onde, como e porquê. Mas descobrimos logo que uma administração responsável deveria «manter essa informação secreta, e não divulgá-la, como se tratasse de um aspecto recorrente da vida pública.»
Mais cómico ainda é viajarmos até Outubro do ano passado, quando o mesmo Nuno Gouveia, então entusiasmado com um candidato que denunciou inequivocamente o waterboarding como sendo tortura, recomendava a esse mesmo John McCain que falasse «mais vezes contra» a administração Bush, usando a questão da… tortura.
Então, a história da irresponsabilidade já não tinha assim tão grande interesse. E aquela mente perturbada vogava a milhas de reflexões piedosas como esta: «um dos problemas dos serviços secretos americanos é serem periodicamente utilizados como “joguetes” de arremesso político».


Auto-gamado daqui

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 Responses to A mente torturada de Nuno Gouveia

  1. Waiwan diz:

    Esse Nuno Gouveia é das figuras mais patéticas da blogosfera.

  2. Pingback: Técnicas agressivas de interrogatório |

Os comentários estão fechados.