Façamos de conta que é verdade

Sócrates garante que haverá 40 mil estágios profissionais em 2009

Esqueçamos por instantes, os 150 000 novos empregos e outras repetidas aldrabices. Esta não será uma medida para contornar provisoriamente os índices de desemprego? É que não nos esqueçamos que quem tem um contrato de estágio profissional, sem direito a catorze meses de salário ou segurança social, é automaticamente retirado das listagens dos centros de emprego.
E já agora, que empresas são estas que, depois de terem os seus orçamentos anuais fechados, ainda conseguem abrir novos postos de trabalhos para estes estágios? Anunciada em Março, não será uma medida bem simpática para se substituir contratados por estagiários?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 Responses to Façamos de conta que é verdade

  1. Seria mais indicado perguntar: a medida não será apenas uma tentativa descarada de mascarar os numeros do desemprego real e comprar votos em ano de eleições?? Que coisa inédita…

  2. ramalho diz:

    ‘Vamos uma vez mais contar mentiras’….

  3. ASG diz:

    Eu diria antes: ‘ora vamos lá, mais uma vez, enganar os tolos’. Tenham é cuidado quando os tolos descobrirem o logro…

  4. Carlos Fonseca diz:

    Da geração de políticos a que pertence, Sócrates é o manipulador mor. O ‘Paulinho’ das Feiras, dos Lares, e não sei do que mais, fica-lhe a léguas.

  5. O que é que o Tio Sócrates irá inventar a seguir?
    Aceitam-se apostas…

  6. Paulo Ribeiro diz:

    não senhor, é uma medida errada! melhor mesmo, seria assentar o empresário de joelhos com uma arma apontada à nuca e obriga-lo a assinar um documento de admissão de indiscriminado numero de trabalhadores.
    amiguinhos, tanta pilhéria vã! antes de mais uma correcção, nunca e em lado algum, os estágios profissionais esconderam os números do desemprego. a quantificação do desemprego, como toda a gente sabe, não é coisa que caiba aos centros de emprego, mas sim, ao instituto nacional de estatística. Os ce apenas registam desempregados ou empregados ou primeiros empregos ou donas de casa à procura de declaração para a isenção da taxa moderadora. deve haver tanta gente empregada nos ce como desempregados não inscritos nos ce. boa? ora, um governo eleito em democracia tem que ter sido optimista no acto eleitoral, posto que, pessimismo e demagogia estão para lá da democracia, não chegam ao poder, excepto numa qualquer grande noite dos tempos em que o tempo se vira ao contrário e, então, temos ditador! voltando à democracia. onde está o problema em se ser pragmático quando toca a governar? a obrigação ética de um governo não é encontrar soluções à medida da crise?
    ok, eu sei, talvez um dia, talvez, quando ninguém estiver em risco de ser despedido porque é proibido, então, nesse dia, não vão existir estágios profissionais, nem empresas…nem opinativos. então, alguém com eles no sítio, muito muito zangado, vai correr a nomenklatura a tiro, ao invés do tradicional voto. isto está sempre a acontecer à pobre humanidade! valha-nos deus, valha-nos nossa senhora!

Os comentários estão fechados.