A voz do dono

Eduarda Maio, autora da mais recente obra do realismo fantástico, O Menino de Ouro, dá voz a um anúncio da Antena 1  em que explica a um automobilista que as manifestações são contra ele. É o que se chama um anúncio ao gosto de Santos Silva. Bem-haja a rádio do Estado tão respeitadora de sua excelência o presidente do conselho.
Já têm até a musiquinha da próxima série de anúncios, até podem aproveitar os cintos.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

44 Responses to A voz do dono

  1. António Figueira diz:

    O “S” era de servir.

  2. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Essa era a versão oficial. A oficiosa era outra. Deixa lá que a piada tb dá com “servirem-se”.

  3. portela menos 1 diz:

    A voz do dono e a dona da voz!

  4. 100% de acordo. Já me deu a volto ao estômago a ouvir isso. Os “gurus” dirão que são mensagens subliminares. E são!

  5. Sérgio diz:

    Com a licença dos donos deste Blog… FODA-SE!
    Mas anda tudo doido???
    Onde é que num país civilizado e democrático um pedaço de execrável propaganda é transmitido?
    Terão os Portugueses perdido os ditos de vez?

  6. jcd diz:

    Bom anúncio. Só se choca quem quer.

  7. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Caro JCD,
    Só se choca quem quer , só gosta quem quer. Não é surpresa que você acha todas as manifestações dos sindicatos más. É livre de ter essa opinião, o que é contestável é uma estação pelo dinheiro dos contribuintes fazer um anúncio contra os sindicatos. Só isso. O resto é desconversar.

  8. Paulo Ribeiro diz:

    diga-me ramos… que voz ouve o sindicato que vexa venera? que dono de um sindicato não o larga, ainda que isso, seja tão contra o próprio sindicalismo desse sindicato. a questão central aqui, é que não basta dizer que se é a favor dos trabalhadores, tem que se comprovar isso nas várias mesas onde os direitos e deveres (porque também esses existem) dos trabalhadores são negociados. se tiver algum descernimento e, digamos, se for um sujeito livre e não anquilosado como parece (do género raivoso), então diga, parece-lhe um boa posição negocial aquela que os sindicatos afectos à intersindical sempre têm em todas as mesas… concordo com isto mas não assinamos o acordo. olhe! eu, eu sei do que falo! mesas negociais foram… várias, acordos alcançados …vários, pontos desses acordos lançados pelos ditos sindicatos e aceites na mesa… vários, e acordos assinados por esses? como sou um optimista, penso que qualquer dia a intersindical, o maior sindicato português, chegará à conclusão de que a estratégia da rua… em portugal… não fará grande sentido! que fará sentido, isso sim, preparar e dotar os nossos sindicalistas com conhecimento empirico e teórico sobre as relações indústriais, promover o aparecimento de sindicalistas preparados para a negociação, isto é, que saibam pensar e falar sem repetir a cassete simplesmente porque não percebem o que está em jogo, dotá-los de gente que saiba falar para o exterior (o carvalho da silva fala bem mas já cansa ouvir o homem bater sempre na mesma tecla), o que implica, necessáriamente, a regeneração das lideranças! muito necessária a regeneração das lideranças!

  9. jcd diz:

    De modo algum. Só acho que as manifestações dos sindicatos são más quando interferem com a liberdade de quem não tem nada a ver com o assunto. De resto, os sindicatos, como quaisquer outros grupos de interesses, devem ter toda a liberdade de actuar como bem entenderem.

  10. Cristina Gomes da Silva diz:

    Lamentável! Quase custa a acreditar que não é um resquício de Carnaval ou uma antecipação do 1º de Abril

  11. Nuno, deve ser das coisas mais escandalosas que ouvi nos últimos tempos. Já não têm vergonha, já não têm nada!

  12. wallace diz:

    Se isto não fosse verdade, dava imensa vontade de rir.
    Se isto ocorresse com um governo da «não-esquerda» já tinha caído o carmo e a trindade. Não?

  13. wallace diz:

    Se isto ocorresse com um governo da «não-esquerda» o que é que sucederia?

  14. Antónimo diz:

    Tanta gente ressabiada e arivosa com a CGTP quando a entidade que nos tem tramado a vida tem sido a UGT, agremiação de “sindicalistas” da qual se aproveitou uma reunião para Sócrates anunciar que a CGTP era dominada pelo PCP e pelo BE

  15. Li isto numa lista de emails que não tem nada que ver com sindicatos:

    O rui, preso dentro do seu carro (que lhe custou muito dinheiro para
    pagar), só pensa numa coisa: como eu vou sair daqui, onde vou
    estacionar o carro hoje?
    E pior, ele sente-se uma vítima. O culpado não é ele próprio nem os
    outros carros que causam o trânsito, mas são aquelas criaturas… que
    estão a protestar contra alguma coisa.

    JCD:
    interferem com a liberdade de quem não tem nada a ver com o assunto.

    Liberdade? A mim parece-me que se ele quisesse ir a pé, e não numa lata de grande de uma tonelada e meia que só pode andar nas estradas construídas e reguladas pelo paizinho-estado, teria toda a liberdade para fazê-lo.

    A “manifestação” estaria era a interferir com a sua propriedade. Vocês os “liberais” de direita têm uma certa dificuldade em distinguir as duas coisas, não é? liberdade e propriedade …

    Aposto que o JCD provavelmente gostaria que fosse a polícia do paizinho-estado a roubar aos manifestantes a liberdade de ocuparem o espaço público. Se fosse preciso à força, não?

    • João Branco diz:

      E, já agora, na segunda circular os automobilistas causam engarrafamentos e trânsito parado todos os dias. Estarão”conscientemente a interferir com a liberdade de quem não tem nada a ver com o assunto” ?

  16. Carlos Vidal diz:

    jcd é um mau discípulo de Milton Friedman – mas já não andam por este mundo nem o seu Pinochet, nem Thatcher (que anda mas é fantasma) nem o seu Reagan. No fundo, este já não é o tempo de jcd.
    Quanto à dona Maio, penso que os sindicatos não devem abrandar a pressão até que o anúncio seja retirado de imediato.

  17. rms diz:

    Para o jcd seria ideal haver um manifestódromo. Manifs que não incomodassem o seu cú burguês remediado. É o chamado azar do caralho. A luta continua nas ruas, vemo-nos por lá.

  18. JP diz:

    Esta anúncio dá vómitos!

    A srª do anúncio podia era ter a esperteza de dizer ao menino do Audi para ir à volta, ter lido os jornais do dia anterior ou então dizer-lhe para arranjar um par deles e juntar-se à manif!

    Já agora alguém sabe se a manif era dos “maus” ou se era dos “independentes”? É que se fosse uma manif da UGT (vá lá, não vale rir) de certeza que o sr. não seria retido, aposto que os céus se abririam e viriam umas senhoras apaziguá-lo do seu transe.

    Estes gajos estão é a perder a vergonha toda e isto um dia destes dá m*rda, ai dá dá!

  19. O Sindicato dos Jornalistas e a Comissão da Carteira Profissional do Jornalista – para além da grotesca ERC – não tem nada a dizer sobre o facto de esta gaja se dizer jornalista e fazer publicidade, e do mais absoluto fascismo?
    Será que la gran puñetera do menino de oiro, só porque o é, pode fazer o que lhe dá na real gana sem que nada lhe aconteça?

  20. Antónimo diz:

    Eu já apresentei queixa ao provedor do Ouvinte da RTP, ao provedor do Ouvinte da RDP e à ERC.

    Do que é que estão à espera?

  21. JMS diz:

    Esta Eduarda Maio devia ser declarada Cheerleader Oficial do PS.

  22. Antónimo diz:

    Para poupar trabalho, os formulários:

    se quiserem fazer queixa podem faze-lo
    no provedor do ouvinte: http://www.rtp.pt/wportal/grupo/provedor_ouvinte/contactos.php

    no provedor do tele-espectador: http://www.rtp.pt/wportal/grupo/provedor_telespectador/contactos.php

    na ERC: http://www.erc.pt/index.php?op=conteudo&id=79&mainLevel=folhaSolta&lang=pt#

  23. Ruca diz:

    Só espero que os Provedores não se eximam, como habitualmente acontece, a pronunciar-se claramente sobre o assunto.

  24. Pedro diz:

    jcd, todas as formas de intervenção democrática interferem, de uma forma ou outra, com “a liberdade de quem não tem nada a ver com o assunto”. Nesse sentido, não só más as manifestações, como as greves, como até a eleição de um partido que não é o nosso. Tudo coisas más que, sendo más, deviam ser abolidas… certo?

  25. Antónimo diz:

    Transcrevo o

    PARECER CONJUNTO DOS PROVEDORES DO TELESPECTADOR E DO OUVINTE DA RTP

    Os provedores do Telespectador e do Ouvinte da Rádio e Televisão de Portugal, confrontados com a promoção da Antena 1, neste momento em difusão na RTP, particularmente com um spot que alude a efeitos de uma manifestação no trânsito, consideram seu dever tomar a seguinte posição:

    1. O conteúdo desse spot veicula uma mensagem de tom antidemocrático, violadora de um direito constitucional;
    2. Dado o teor publicitário da campanha, os provedores olham com a maior reserva para a respectiva interpretação por um jornalista profissional;
    3. Em diferentes intervenções internas e externas, os dois provedores têm-se manifestado favoráveis ao aproveitamento das sinergias promocionais resultantes da fusão da RDP e da RTP;
    4. Da aludida promoção publicitária, contudo, os provedores não têm dúvidas de que resultam feridos princípios e direitos que devem ser superiormente respeitados, em especial por operadores com o estatuto de serviço público.

    Nestes termos, os provedores do Telespectador e do Ouvinte são de parecer de que o spot publicitário em causa deve ser imediatamente retirado.

    O Provedor do Telespectador
    José Manuel Paquete de Oliveira

    O Provedor do Ouvinte
    Adelino Gomes

    Lisboa, 20.3.2009

  26. Ruca diz:

    E, depois do spot retirado, a culpa vai morrer solteira? Não há responsabilidades a assumir? A jornalista Eduarda Maio vai tranquilamente continuar a ser sub-directora de informação da RDP?

  27. Paulo Ribeiro diz:

    apesar do seu líder estar preso, o fórum nacional também reclama vitória! agora pergunto: se a diferença entre uns e outros é tão miseravelmente ténue, se as preocupação de uns e de outros reside, quase sempre, no homem que mordeu o cão, porque não tem o machado um espaço para diatribes na rádio?

  28. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Paulo Ribeiro,
    Tem de evitar snifar a cola do largo do Rato.

  29. António Figueira diz:

    Houve imensos comentários porreiros, se me é permita uma modesta escolha, voto em rms, 20.03, 14h59. (Subscrever o spot publicitário da autora do livro sobre José Sócrates apresentado por Dias Loureiro, bolas, é obra.)

  30. também não é preciso ver uma conspiração em tudo… não apedrejem a senhora…
    o spot é infeliz e revela algo de perturbante que estará no subconsciente de quem o pariu…
    eles pretendiam ser popularuchos, falar a voz do povo… sabe-se que há muito povoléu que fala naqueles termos em relação às manifs, aos comunistas e aos paneleiros, entre outros alvos.

  31. Pingback: Anúncio RDP « Pedalófilo

  32. Pingback: cinco dias » Ódio de classe e propaganda

  33. jcd diz:

    Já vi que nunca perceberam muito bem o conceito de liberdade.

  34. Pingback: Frente Unida dos Imbecis at Aspirina B

  35. Nuno Ramos de Almeida diz:

    JCD,
    A minha ideia de liberdade permite-me concordar com o que escreveram no teu blogue sobre o assunto, nomeadamente o Gabriel, e discordar de ti. A minha ideia de liberdade permite-me respeitar pessoas que como tu são contra qualquer manifestação existente, embora digam que admitem o direito em abstracto. A minha ideia de liberdade não permite achar normal que uma rádio do Estado que eu pago com os meus impostos faça campanha contra as pessoas que se manifestam contra o governo. O direito a manifestar está garantido constitucionalmente, o direito do governo usar os meus impostos para dizer mal dos manifestantes, não. Já basta a propaganda enganosa dos vários ministérios.

  36. q diz:

    Curioso: nunca deixei de ir a lado nenhum a tempo e horas por causa de uma manifestação – mas já fui impedido de passar na Av. da Liberdade porque estava alugada a uma televisão, outra vez porque havia umas corridinhas de Fórmula 1 e numa outra vez não pude passar na Praça das Flores porque estava alugada a uma empresa qualquer ou lá que merda foi. Contra estas atrapalhações não fazem estes hipócritas ranhosos os seus anunciozinhos.

  37. Caty Waves diz:

    Tantas virgens ofendidas por aqui!! Meu Deus!!
    Até parece que foi o Sócrates ou o Ps que mandou fazer o anúncio!
    O que interessa é discutir soluções para a Crise Mundial provocada pelas políticas de Direita.

  38. Paulo Ribeiro diz:

    “Paulo Ribeiro,
    Tem de evitar snifar a cola do largo do Rato.”(sic)

    bem! isto torna tudo claro como a água! este guru (o nuno ramos), reconhece então que a formulação de um insulto é forma de se combater argumentos. sim senhor, temos ramos! e que fútil menino! mas vejamos: é assim que vexas se insultam nos vossos encontros? cola para aqui cola para acolá. meu caro deixe dizer-lhe que não vá por aí. quer uma pérola? não seja básico! olhe, é que esse caminho é traiçoeiro e, mais, tenho lá alguma coisa que ver com o que o meu caro faz na privacidade quando está raivoso com mundo, isto é, sempre? só posso lamentar que as ideias no seu cérebro estejam para a dita substancia como a dita está para a sola do sapato. Mas isso é apenas uma lamento meu! Já agora, faça antes assim, prove uma chávena de chá!

  39. Paulo Ribeiro diz:

    “A minha ideia de liberdade não permite achar normal que uma rádio do Estado que eu pago com os meus impostos faça campanha contra as pessoas que se manifestam contra o governo.” (sic)

    como disse? terei lido bem? acaso concordo? pois claro! mas… não há bela sem senão. é que, não obstante este guru e prosélito marxista encantar sempre que fala na rádio ou escreve – com recurso a pérolas como esta -, como é que fica o seu, digamos, tão querido estalinismo, esse modelo de liberdade nos média e de direito à manifestação? por outro lado, temos esta alminha de esquerda a criticar o pagamento de impostos? das duas uma, ou temos falácia ou alguma evolução para um certo discurso criptoliberal. isto não está nada bom! nenhum guru deve ter ideias mal arrumadas. ponto final.

  40. Paulo Ribeiro diz:

    ambrósio apetecia-me algo. do género: onde é que está a oposição interna no bloco de esquerda? nas suas eleições existem listas alternativas? os jornalistas podem lá entrar e assistir às “discussões”?
    alguém discorda de alguém? já alguém viu um dirigente do BE discordar de outro em público?
    artigo 3º dos estatutos da UDP
    (integrante do bloco de esquerda)
    «Aos militantes é vedado o direito de exprimir de forma pública, nomeadamente em organizações políticas ou de massas, posições divergentes das decididas em Congresso ou pelas estruturas de direcção eleitas.»
    artigo 19 dos estatutos do PSR
    (integrante do bloco de esquerda)
    «Centralismo Democrático
    19.O funcionamento interno do PSR rege-se pelos princípios do centralismo democrático: liberdade absoluta na discussão, unidade absoluta na acção.»
    «As Lenin described it, democratic centralism consisted of “freedom of discussion and criticism, unity of action”. The democratic aspect of this methodology describes the freedom of members of the political party to discuss and debate matters of policy and direction, but once the decision by the party was made by majority vote, all members were expected to follow that decision unquestioningly in public.»
    Wikipedia
    ´
    e vem este agrupamento brincar com o congresso do PS. há, de facto, quem não tenha o mínimo sentido do ridículo.

  41. Paulo Ribeiro diz:

    é preciso lembrar que o bloco de esquerda é constituído por dirigentes saídos dos LCI, PSR, UDP, e outros grupelhos que por aí andam, estas com real tempo de antena. habituados à discussão dialéctica e teórica entre si, são muito mais refinados nos processos de atração de eleitorado, do género atrair moscas com mel. insistindo sempre no diagnóstico mauzinho da situação, na desagregação da coesão nacional, na despromoção dos ícones da nossa sociedade, deixam para outra altura a divulgação das suas sinistras propostas.

Os comentários estão fechados.