toponímias

Tal como a Ana noticiou anteriormente o Rádio Clube Português tem feito um meritório e interessante trabalho em torno da Violência Doméstica. Têm sido debates, e reportagens, sobre histórias reais que mais uma vez salientam a importância desta questão na sociedade portuguesa.
Mas as ironias não faltam, parece que para Carlos Encarnação e Francisco Moita Flores o problema se resolve na toponímia: dar o nome de ruas nas suas cidades a vitimas mortais.
Ainda que, simbolicamente, seja interessante a atitude dos edis, fica por saber que políticas locais de igualdade existem nestas autarquias?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 respostas a toponímias

  1. Acha que é com políticas de igualdade que se resolve o problema da violência doméstica?
    É que essa ideia sugere que a violência doméstica é um problema de género, o que – em minha opinião – é uma premissa falsa:
    Porque a violência doméstica não escolhe sexo nem orientação sexual…

  2. Paulo Jorge Vieira diz:

    Meu Caro Nuno

    Politicas de Igualdade não são políticas de igualdade de género. Por outro lado a violencia doméstica tem na violência de género uma das suas expressõos mais fortes e cujos efeitos são mais conhecidos. O que não significa por exemplo que jovens adolescentes vitimas de controlo e expulsos de casa pelos seus pais por serem homossexuais não sejam também vitimas de violência.

Os comentários estão fechados.