Maioria Não, Absoluta Nunca

Com o aproximar das eleições legislativas começa o discurso recorrente da necessidade da maioria absoluta. PS e PSD, dependendo de quem está melhor colocado, inicia a gritaria sobre os perigos da instabilidade política, da crise, da ingovernabilidade…
Os patrões e outros mandatários da alta finança dão uma ajuda anunciando o caos se, ora PS ora PSD, não conseguirem a absoluta, pois as suas negociatas são bem mais fáceis de tratar com um único interlocutor. Nada de novo.
O que me parece novo, é este sentido de sobranceria e impunidade que leva um partido com maioria absoluta a chumbar, sozinho, propostas que mais tarde transformará em bandeiras da sua campanha. Aconteceu isto com o casamento de pessoas do mesmo sexo e, quer-me parecer que sucederá, com as taxas moderadoras na saúde.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

1 Response to Maioria Não, Absoluta Nunca

Os comentários estão fechados.