Escolas a tempo inteiro ou novas prisões?

Ricardo Santos Pinto, um professor que, no 5 Dias, consegue a proeza de rivalizar com o notável Carlos Vidal, tem-se consumido a atacar a política de educação do Governo. Percebe-se melhor o que o move, quando se sabe que um pilar essencial da política educativa é a escola a tempo inteiro: “Devido à minha actividade profissional, paralela ao ensino”.

Talvez por achar o texto acima irrelevante, o Ricardo não o comentou.
Como entendo que é um sinal dos tempos e ajuda a perceber a concepção reinante que os professores são empregados do governo, aqui fica o que se pode deduzir deste post:
– os professores não devem atacar o governo;
– os professores não devem ter outras actividades profissionais;
– os professores que tiverem outras actividades profissionais devem ser denunciados.

A propósito, também tenho alguma curiosidade em saber o que pensam os corporativos sobre a possibilidade de haver bloggers a viver à custa do erário público, sem que haja um estatuto de carreira decente?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

18 Responses to Escolas a tempo inteiro ou novas prisões?

Os comentários estão fechados.