Entrevista ao Primeiro Ministro


Vi a entrevista com intermitências. Para além da irritação, arrogância e simpatia por Alegre de José Sócrates, não me pareceu que houvesse nada de relevante.
Depois continuei a ver a SIC Notícias e os seus comentadores, e aí fiquei a saber melhor o que ouvi. A abrir Bettencourt Resendes enquadrou-me dizendo que o Primeiro Ministro tinha estado muito bem. A grande novidade, parece, foi a possibilidade de eleições antecipadas. Na palavra dos comentadores, José Sócrates, enunciou a possibilidade da Assembleia da República ser dissolvida em Junho, para as eleições legislativas serem no mesmo dia que as Europeias – não percebo as vantagens para Sócrates a menos que o 2º semestre do ano ainda se preveja pior que o 1º e não percebo as vantagens para Cavaco, as vantagens para os portugueses ninguém me pareceu muito interessado em discuti-las, portanto julgo que não estarão em cima da mesa.
Por último, da discussão entre comentadores, gerou-se um “interessante” debate se os portugueses teriam “maturidade” para votar no mesmo dia para eleições diferentes… “Maturidade” diziam eles! Na sequência veio a pérola de José Manuel Fernandes. Ficámos todos a saber que nas eleições autárquicas em que Santana foi eleito para presidir aos destinos da capital, o PS tinha ganho a Assembleia Municipal! Só não consigo explicar é que, tendo o PS ganho esta eleição, por que é que foi João Amaral (PCP) e, depois do seu falecimento Modesto Navarro (PCP), que presidiram à referida Assembleia.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , . Bookmark the permalink.

12 Responses to Entrevista ao Primeiro Ministro

Os comentários estão fechados.