Revolução verde para combater a crise

Jeremy Rifkin, presidente da Foundation on Economic Trends e autor do livro “O Sonho Europeu” que ganhou actualidade com a presente crise, apela neste artigo a uma revolução verde para combater a actual crise. A solução proposta por Rifkin tem a virtude de responder igualmente ao problema levantado pelo Relatório Stern, que alerta para os custos consideráveis para a economia resultantes dos efeitos directos e indirectos do aquecimento global. Rifkin propõe a massificação da utilização de novas tecnologias mais limpas no sector automóvel, em particular a banalização da utilização de tomadas para veículos eléctricos nas paragens das auto-estradas e nos parques de estacionamento, onde a associação estratégica entre empresas do sector automóvel e a indústria de produção de electricidade poderia ter um papel importante na aceleração do processo. Rifkin ilustra o seu discurso citando os exemplos actuais de associação entre a Toyota e a EDF e a Daimler e RWE.
Relembro que o insucesso de anteriores projectos de automóveis eléctricos se deveu em grande parte à diversidade e à incompatibilidade de sistemas utilizados, bem como à rapidez com que os referidos sistemas se tornavam obsoletos, desvalorizando os automóveis eléctricos usados a níveis preços que impossibilitavam a sua revenda por parte dos particulares.
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 Responses to Revolução verde para combater a crise

  1. teofilo m. diz:

    Ora cá chegamos nós ao pnto que interessa – a normalização!

    Se os construtores se entenderem quanto ao método de abastecimento dos veículos eléctricos talvez eles venham a ter futuro, mas se cada um quiser remar para o seu lado e apostar na diversidade já será maos difícil.

    A UE tem aqui uma palavra importante mas pelos vistos anda um pouco distraída.

  2. A voz do Rifkin é relativamente ouvida na UE, foi conselheiro do Prodi quando este foi o Presidente da Comissão, vamos esperar para ver.

Os comentários estão fechados.