Grécia e mirandismo

Declara João Miranda, que a economia grega é das mais imunes à crise internacional. Citando a mesma fonte pode-se constar:
Previsões de Desemprego: 8.3%(2007) 9.0%(2008) 9.2%(2009) 9.3%(2010)

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 Responses to Grécia e mirandismo

  1. Sérgio Pinto diz:

    Considerando o crescimento do PIB como indicador de imunidade à crise, a Grécia estaria em muito boa posição, sim (sinto-me mal disposto por quase concordar com algo que alguém como o João Miranda diz). Claro que o crescimento do PIB não é a única variável que interessa, mas não é menos verdade que, sem esse crescimento, nenhum outro objectivo será atingido.
    E, francamente, apontar os números do desemprego crescente como exemplo seja do que for, é basicamente tão absurdo e demagógico como os textos que o João Miranda costuma produzir. Irra, se há uma crise, e muito profunda, é evidente que vai haver mais desemprego. Mais que evidenciar algo perfeitamente óbvio, o que interessa, de facto, são as medidas que são tomadas para combater essa tendência de subida, bem como o apoio prestado aos desempregados.

  2. Tiago Mota Saraiva diz:

    Caro Sérgio, não serei uma entidade certificadora da imunidade de países à crise. O que me parece relevante é a forma como os números do desemprego são quase sempre desvalorizados.
    Veja-se por exemplo as anunciadas “medidas do governo” de incentivo ao desemprego jovem. Umas já tinham sido lançadas, outras pioram as condições de empregabilidade.

Os comentários estão fechados.