A maioria dos assessores não pode rever-se nisto

– Mas deixaram o vídeo pejado de erros! Achas mesmo que alguém vai acreditar que foi um professor a escrever aquilo? Só se fosse um professor da Independente…
– Põe-te com essas bocas ao telefone e logo vês o que te assucede.
– E o Hitler? Desculpa lá, mas parece um bocado de exagero.
– Foi o gajo que quis assim. E foi ele que andou a mexericar nas legendas que escrevi. Agora diz que a culpa é do Magalhães, que tem as teclas pequenas.
– E não podiam ter arranjado uma malta um bocado mais credível para se indignar com o vídeo? Se é só o pessoal da casa a reagir, a coisa não pega!
– Os gajos do DN cortaram-se à última da hora e deram a primeira página ao Benfica. Mas também faz falta: quando o Suazo marca, o povo fica logo contente. Para compensar, ficaram de publicar mais umas crónicas a cascar nos professores.
– Fo**-se!!
– Mas que foi isso?
– Ele está no gabinete a tentar meter outro vídeo no YouTube. Mais ideias de génio…
– Ui.
– Tenho de ir lá ajudar o homem. E ver se o convenço de que “professor” não se escreve com cê de cedilha…

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 Responses to A maioria dos assessores não pode rever-se nisto

  1. Pingback: youtube » Blog Archive » A maioria dos assessores não pode rever-se nisto

  2. Pingback: Casas Online » Blog Archive » A maioria dos assessores não pode rever-se nisto

  3. Pingback: cinco dias » Os assessores e o padeiro

Os comentários estão fechados.