Terrivelmente ineficiente

Quantum of Solace, ou como investir 200 milhões em elaboradas coreografias de acção em cenários espectaculares por esse mundo fora, e montar para desperdiçá-las, não mostrando nada por mais que 2 segundos,  deixando o espectador ansioso que tudo páre por um momento, para poder apreciar a única coisa  que se aproveita no filme: planos fechados do perturbador olhar azul do espião terrivelmente eficiente.

É pena: os telhados de Siena e o Hotel do Observatório Espacial Europeu mereciam que se deixasse vê-los.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.