Wittgenstein e a verdadeira esquerda


Paul Wittgenstein, irmão do outro, começava a sua carreira como pianista quando eclodiu a I Grande Guerra. Nela, perdeu o seu braço direito. Decidido a não desistir de tocar, fez uma série de encomendas a compositores de nomeada. Entre obras de Richard Straus, Hindemith, Britten, Florent Schmitt e Prokofiev (esta nunca chegou a ser tocada em público por Wittgenstein), acabou por ser o Concerto para Piano e Orquesta em Ré maior, de Maurice Ravel, a mais conhecida. Isto apesar de um desentendimento com o compositor francês, pouco feliz com a liberdade com que o pianista encarava a peça.
Elisso Wirssaladze ao piano, com a filarmónica de S. Petersburgo, dirigida por Nikolai Alekseev. Continua aqui.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 Responses to Wittgenstein e a verdadeira esquerda

Os comentários estão fechados.