Novas vias, velhas manias

Em tempos de árdua busca do próximo pensador de nome impronunciável que nos há-de guiar, Rui Pena Pires pergunta-nos se será mesmo preciso reinventar a roda. Ou se um «mínimo de cumulatividade» não poderá ser a melhor via para a Esquerda de hoje.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.