Cinco Dias alargado (continuação)

Não, este não é do Técnico: é de Ciências (matemática), com passagem pela Polytechnique, onde defendeu uma tese de doutoramente sobre fractais (seja lá o que isso for), de que eu guardo lá em casa uma cópia com muito carinho, mas de que não percebo puto. À parte isso, o Pedro Ferreira é um dos bloggers do Puxapalavra, vende a força de trabalho, para utilizar a consagrada expressão, numa empresa que fica entre a rue Monge e a Contre-Escarpe e onde ele e outros matemáticos que tais produzem e vendem para o mundo inteiro software baseado em modelos, também obviamente matemáticos, que ajudam a perceber a evolução de produtos financeiros (mas infelizmente não dizem a quanto é que as acções do BCP vão estar amanhã, nem dão a chave do próximo Euromilhões); enfim, um digno filho do cognitariado europeu, um matemático que para além dos números também conhece as letras (ao contrário de min, que sou um analfabeto científico) e um gajo que eu conheço desde há quase trinta anos – e quanto mais o conheço, mais gosto dele: tratem-no bem, que ele merece.

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 Responses to Cinco Dias alargado (continuação)

  1. Pedro diz:

    Fractais são imagens, como o próprio nome diz, fracturadas, quer dizer, que não se parecem umas com as outras, género triangulos exósceles e catetos diferentes uns dos outros, mas no entanto juntinhos, que dão uma ilusão de caos primordial, pois que se misturam todos como numa sopa cósmica. Quem olhar com muita atenção, também pode ver numa superfície fractal quadrados e circulos com diferentes ângulos, o que é fantástico e quase inacreditável.

  2. tric diz:

    mas espero que no contrato de aquisição tenha lá colocado uma clausula, em que o Bloguer Pedro Ferreira se compromete a colocar no minimo uma imagem de um fractal por semana ou associados aos seus post´s

  3. Algarviu diz:

    A propósito do comentário de Pedro:

    Nnão há triângulos exósceles, mesmo nos fractais. O que há são triângulos isósceles.
    Catetos diferentes uns dos outros é o que mais há, em qualquer geometria.
    Círculos com diferentes ângulos é mais na área do surrealismo.

    Com a ajuda do Pedro não se consegue chegar aos fractais.
    A não ser, eventualmente, ele próprio.

  4. Pedro Ferreira diz:

    Muito obrigado ao António pela apresentação. Infelizmente passei uma semana com uma crise que me impedia de andar direito e não tive oportunidade de reagir ao bilhete. Lamento desiludir os comentadores que se entusiasmaram com fractais, infelizmente não é essa a minha especialidade, embora saiba o que são. Na verdade a minha tese (que o António não consegue ler) é sobre Análise Numérica de Equações de Maxwell, ou seja, como simular a propagação de ondas luminosas (ou de rádio, ou micro-ondas) usando computadores…

  5. Não deixa de ser um assunto interessante (as equações de Maxwell; a análise numérica, nem por isso 🙂 ). Eu também passei pela X, em 2004 e 2005. Mas em Palaiseau. Já estiveste em Palaiseau ou andaste ainda na Rue des Écoles?

Os comentários estão fechados.