A coisa é simples:

Primeiro eu nem sabia o que raio um blog era e depois veio o Nuno, que me atura e que eu aturo há alguns trinta anos, a explicar-me e a dizer-me para eu me meter num também, e foi então que eu vim para aqui, no tempo em que isto ainda tinha fotografias da malta por cima e eu escrevia longos posts nunca soube bem para quê nem para quem (se é que alguém). Depois a Terra deu pelo menos duas voltas em volta do Sol, os miúdos cresceram, a vida mudou (à brava) e finalmente o Nuno saíu e eu achei que não fazia muito sentido ficar depois de ele sair. E isso é tudo, não tenho jeito para despedidas, gostei muito deste bocadinho, gosto sem excepção de toda a gente que cá está e de quase toda a que por cá aparece, espero que isto viva muitos anos e bons e se encha de propriedades, se houver jantaradas avisem-me que se eu puder prometo que apareço.

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

22 Responses to A coisa é simples:

  1. Pingback: Premonição? « Vasco Campilho

Os comentários estão fechados.