As questões nuculares do debate

Entre o debate e o sono, lá resisti até ao fim. Mas pelo menos já percebi onde tem estado Palin nestes últimos dias: a decorar a colecção de slogans que hoje soletrou sem cessar para as câmaras, com o ar sincero de um vendedor de milagres adelgaçantes na Teleshop. «Vamos pôr o governo no lado dos americanos»; «o meu estado produz energia»; «a culpa disto é da cobiça em Wall Street e em Washington»; «está sempre a apontar o dedo para o passado» (esta saía-lhe mal Biden mencionava uma das desgraças dos últimos 8 anos); «McCain é um maverick»; «eu sou uma outsider».
Palin tem a espessura das folhas de papel que escrutinava sem parar, não fosse esquecer de um daqueles mantras vitais. Mas está longe de ser a «dona-de-casa do Alasca» de Sousa Tavares; trata-se de um animal político versado nas artes da sobrevivência em habitats hostis (fugindo com maior ou menor destreza a questões incómodas), capaz de apelar ao sentimento e de seduzir uma certa América folksy e simples. Mas isso não chega para ser VP e não chegou sequer para Biden.
Uma coisa acertada ela disse: «não vou atribuir todos os comportamentos humanos ao aquecimento global». Aí estamos todos de acordo, presumo. Tal como no facto de a senhora ter muito mais charme a dizer «nucular» vezes sem fim do que o seu mestre Bush.
A sério, a sério, acho que, se dependesse só dos debates, preferiria votar em Biden do que em Obama.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

14 Responses to As questões nuculares do debate

  1. Luis Moreira diz:

    Tambem resisti melhor que Palin.Não me parece que seja por ela que McCain va ganhar.De qualquer jeito a presente crise parece que será decisiva na decisão dos americanos.

  2. T diz:

    Decoradas e ditas para a câmara em jeito de tempo de antena. É possível que resulte em termos eleitorais, ainda que seja sofrível de observar.

  3. o sátiro diz:

    Também concordo que Biden está muito melhor preparado que Obama.
    Mas é este que vamos aturar nos próximos 4 anos (duvido que seja presidente capaz), e é provável que seja um 2º Carter e perca a reeleição.
    Mas a Sarah portou-se melhor do que muitos esperavam ( eu não, já escrevi sobre isso: será uma referência no futuro do GOP):
    http://www.msnbc.msn.com/id/26979768/?GT1=43001

    Quanto aos slognas, ainda fica tem muito que aprender com o PCP e do BE…

  4. j diz:

    «Mas pelo menos já percebi onde tem estado Palin nestes últimos dias: a decorar a colecção de slogans que hoje soletrou sem cessar para as câmaras, com o ar sincero de um vendedor de milagres adelgaçantes na Teleshop.»

    Concordo… Uma ladainha, de facto, a conversa da senhora.
    Nuno Rogeiro começou por dizer que a senhora foi vencida por KO, depois lá disso, que foi só aos pontos.
    Eu, então, acho que foi levada ao tapete com doçura por Biden, um político experiente com a manha toda e que soube não cair no erro da sobranceria.

    E quando Nuno Rogeiro comenta que a senhora, afinal, demonstra alguma “substância” eu acho, antes, que apenas obedeceu a um script.

  5. vês pouco disto. Biden cometeu pelo menos 8 a 10 erros factuais, grosseros. O piro de todos foi confundir o que o artigo da constituição diz sobre a divisãod e poderes entre o poder executivo e legislativo. Perorou 3 minutos com base num erro que qualquer estudante de direito constitucionasl americano percebe.
    Se fosse coma Palin os media de esquerda iam passar uam semana a chamar-lhe ignorante.
    Na questão dos votos do congresso – quem votou com quem e a favor do quê – as respostas de Biden são pura aldrabice – falsas (não há outra expressão para as caracterizar)
    Estou certo que estas gaffes e erros não vão ter follow-up – a Imprensa faz o seu trabalhinho de tentar eleger o mais inexperiente e inqualificado candidatoa Presidente e o seu candidato a Vice-Presidente que não passa de um insider que passeia a sua ignirância com ar doutoral.

  6. ezequiel diz:

    scriptechnik, no doubt

    Palin dominou o script.

    “Mas está longe de ser a «dona-de-casa do Alasca» de Sousa Tavares….”

    “trata-se de um animal político versado nas artes da sobrevivência em habitats hostis (fugindo com maior ou menor destreza a questões incómodas), capaz de apelar ao sentimento e de seduzir uma certa América folksy e simples.”

    nem mais, caro Luís. Its not what you think. It is what they think!!

    Fizeste aqui um exercício fantástico de interpretação. Mais, de explicação. Conseguiste sair de ti próprio. Como diriam os avozinhos, fostes sensível.

    A Palin não é burra. Longe disso. Hey, quem diria? (esta é a minha opinião muito pessoal, eu julgava-a uma idiota…mas…surprises come in small boxes i.e. expectations) Não se trata apenas do script. She is a gutsy Alaskan… (fisga-se, não quero que chegue a VP…nem por nada…mas, fuckit, why lie to oneself?)

    Why lie to oneself? hey hey

  7. Pingback: cinco dias » Brownie Points

  8. Leitor atento,
    que pena que não sejas também um leitor que fundamenta as suas afirmações. É que mandar assim postas de pescada é fácil. Fica a coisa no ar e tal. E que tal um bocadinho de fundamentação, para variar?

  9. bom, eu só vi o debate até às 3 da manhã. aí capotei. mas, e a questão ‘nucular’ à parte (julgava que estava a ouvir mal, ainda bem que o luis frisou isso), acho que a palin não se saiu mal. repetitiva, sim, limitada, a fugir às perguntas — coisa que o formato do debate permitia –, mas muito empática e energética, a contrastar com o ar emperrado e veterano do binden, cujo sorriso falso e os protestos de que ‘ama o john’ me deixaram enjoada. um velho político sabido e aldrabão v/s a rapariga das berças de discurso ensaiado, espertalhona e giraça. não é grande escolha, de facto. não me apeteceria votar em nenhum deles. penosa a parte em que a sarah garantiu que ‘estamos a vencer no iraque’, triste o momento em que binden garantiu ser contra o ‘gay marriage’.

  10. Caro Rogério,
    Quanto aos erros factuais do Biden no debate deixo em baixo uma lista deles. Uns são de pouca importância mas outros são calinadas da maior ignorância. Nos media vai tudo andar a assobiar para o ar como se nada tivesse acontecido.
    Para se entreterem. Até porque estou certo que a Imprensa vai fingir que isto nunca aconteceu e que estamos na presença de um homeme muito culto e muito bem preparado. Se fosse a sarah Palin a dar uma destas calinadas (quanto mais 14) estava o caldo entornado e tínhamso direito a horas seguidas de reportagens dedicadas ao assunto.

    Joe Biden’s 14 Lies

    1. TAX VOTE: Biden said McCain voted “the exact same way” as Obama to increase taxes on Americans earning just $42,000, but McCain DID NOT VOTE THAT WAY.

    2. AHMEDINIJAD MEETING: Joe Biden lied when he said that Barack Obama never said that he would sit down unconditionally with Mahmoud Ahmedinijad of Iran. Barack Obama did say specifically, and Joe Biden attacked him for it.

    3. OFFSHORE OIL DRILLING: Biden said, “Drill we must.” But Biden has opposed offshore drilling and even compared offshore drilling to “raping” the Outer Continental Shelf.”

    4. TROOP FUNDING: Joe Biden lied when he indicated that John McCain and Barack Obama voted the same way against funding the troops in the field. John McCain opposed a bill that included a timeline, that the President of the United States had already said he would veto regardless of it’s passage.

    5. OPPOSING CLEAN COAL: Biden says he’s always been for clean coal, but he just told a voter that he is against clean coal and any new coal plants in America and has a record of voting against clean coal and coal in the U.S. Senate.

    6. ALERNATIVE ENERGY VOTES: According to FactCheck.org, Biden is exaggerating and overstating John McCain’s record voting for alternative energy when he says he voted against it 23 times.

    7. HEALTH INSURANCE: Biden falsely said McCain will raise taxes on people’s health insurance coverage — they get a tax credit to offset any tax hike. Independent fact checkers have confirmed this attack is false

    8. OIL TAXES: Biden falsely said Palin supported a windfall profits tax in Alaska — she reformed the state tax and revenue system, it’s not a windfall profits tax.

    9. AFGHANISTAN / GEN. MCKIERNAN COMMENTS: Biden said that top military commander in Iraq said the principles of the surge could not be applied to Afghanistan, but the commander of NATO’s International Security Assistance Force Gen. David D. McKiernan said that there were principles of the surge strategy, including working with tribes, that could be applied in Afghanistan.

    10. REGULATION: Biden falsely said McCain weakened regulation — he actually called for more regulation on Fannie and Freddie.

    11. IRAQ: When Joe Biden lied when he said that John McCain was “dead wrong on Iraq”, because Joe Biden shared the same vote to authorize the war and differed on the surge strategy where they John McCain has been proven right.

    12. TAX INCREASES: Biden said Americans earning less than $250,000 wouldn’t see higher taxes, but the Obama-Biden tax plan would raise taxes on individuals making $200,000 or more.

    13. BAILOUT: Biden said the economic rescue legislation matches the four principles that Obama laid out, but in reality it doesn’t meet two of the four principles that Obama outlined on Sept. 19, which were that it include an emergency economic stimulus package, and that it be part of “part of a globally coordinated effort with our partners in the G-20.”

    14. REAGAN TAX RATES: Biden is wrong in saying that under Obama, Americans won’t pay any more in taxes then they did under Reagan.

  11. Leitor atento,
    Como há-de imaginar bastou-me ler o último (começo sempre pelo fim) para aferir da bondade da análise. Ficou o esforço.

  12. Luis Rainha diz:

    Essa lista vem da campanha de McCain. Preferir-se-ia coisa mais isenta. Para quem viu o debate, mesmo as tais falsidades estão quase todas reproduzidas de forma algo “torcida” (p.ex., Biden não desmentiu a aceitação por parte de Obama de conversas sem condições com o maluco do Irão; apenas a matizou)… e os desmentidos idem: por exemplo, invocar o tal “working with tribes” como refutando que o gen. McKiernan tenha previsto a ineficácia de um “surge” no Afeganistão é bastante forçado.
    Mas quem colocou a lista em circulação, nem repara no que ela diz de Sarah Palin: se ela não desmentiu nada disto na hora, é porque desconhece realidades tão básicas acerca do país e das propostas de McCain.

  13. Luis Rainha diz:

    Fernanda,

    Estavas portanto com esperanças de que Biden desistisse ali de ganhar as eleições. Nesse tema, ele apertou com a Palin de forma bem inteligente: convidando-a a concordar com a ideia genérica de conceder a casais do mesmo sexo todos os direitos civis dos outros casais. Ela ficou tão baralhada que nem sequer negou isso.

  14. nuno castro diz:

    Pergunto-me se o leitor atento não terá uma costela de Palin, mas à portuguesa. É que debita soundbites respigados de outros lados sem dar uma (uminha) justificação.

    Quando parecia que ia demolir o artigo do LR, deixou-nos diversas pérolas copy-paste. começando pela primeira (que é onde se deve começar): “Biden said McCain voted “the exact same way” as Obama to increase taxes on Americans earning just $42,000, but McCain DID NOT VOTE THAT WAY.”

    Ai não? Então faça favor, senhor leitor atento, de se tornar em escritor atento e explicar aqui aos desatentos como votou McCain? Isso é que teria força de argumento, cum caraças!

    A seguir, o ezequiel, espécie estranha que vegeta num espaço político cinzento e que debita as opiniões mais incongruentes. Dizer que a Palin não é burra. A Palin é muitíssimo burra! Agora sabe fazer show-off, à pois sabe. sobretudo num ambiente político em que isso parece ser o suficiente, algo que já sabemos desde Reagan (outro burro que nem portas)

    Problema: que haja gente suficientemente impressionável para largar encómios à Palin. Diz muito da política actual e da maneira como as pessoas a praticam.

    E agora Palin. Que dizer? Decorou textos, e slogans. Foi misserável nas respostas sobre economia (onde Joe Biden também não se safou por aí além) e disse um chorrilho de lugares-comuns irritantes que fariam um discípulo de Mussolini bocejar.

    Lembrar um famoso texto de Adorno onde este se questiona como é que a pobreza e inépcia de Hitler e Mussolini puderam arregimentar multidões…

    é o fascismo meus caros, é o fascismo

Os comentários estão fechados.