O filme censurado por Berlusconi


O cavalieri impediu que o filme de Oliver Stone sobre Bush inaugurasse o Festival de Cinema de Roma.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 Responses to O filme censurado por Berlusconi

  1. carmo da rosa diz:

    Se pode isto é então um precedente sem precedentes: a máfia estende a sua influência ao mundo da cultura…

  2. Bolota diz:

    Com idiotas destes, a senhora Europa não vai longe

  3. xatoo diz:

    pouco importa; salvo a indignidade do acto de censura, até é melhor assim
    Oliver Stone é um “spinner” professional – senão nem filmava, considerando os milhões que são precisos para entrar na indústria.
    Stone já “limpou” a imagem e as razões dos assassinos de Kennedy com “JFK” (como é sabido a verdadeira razão do crime foi porque Kennedy planeava retirar ao FED a legalidade para imprimir dinheiro, que passaria a ser exclusiva do Tesouro Nacional; isso é omitido no filme) e O.S. agora candidata-se a “limpar” a imagem do Bush Sénior que, como director da CIA foi um dos principais responsáveis por esse mesmo assassinato – mas este “W” apenas o faz de mau porque ralhou com o imbecil do filho Bush Jr.: no mais omisso, para consumo do público em geral, o criminoso passa por ser um politico normal, embora dentro da anormalidade consentida que cabe no intervalo da informação actualmente veiculada pelos donos dos media e do espectáculo mainstream (proprietários que regra geral são as mesmas entidades privadas que detêm as Reservas Federais); capisce?

  4. Pingback: cinco dias » Mais berlusconices

  5. a.m. diz:

    AmigoNuno, é ‘cavaliere’ (singular), não é?

  6. Caríssimo a.m
    Como cavalgadura, presumo eu

Os comentários estão fechados.