Preso por ter cão, por não ter e por pensar se será melhor ter ou não ter

Os nossos liberais vivem num mundo difícil. Num momento vêem-se obrigados a vir para a rua reclamar pelo apoio estatal à patusca corrida de avionetas do Porto, logo a seguir – e sem sair do ramo da aeronáutica – vem o João Miranda barafustar porque deixámos passar em branco a hipótese de financiar o projecto de construção de um avião em terras lusas. Por seu lado, a impagável Ana Margarida Craveiro detecta o fácies hediondo do «Estado dos paizinhos do povo» por detrás desta afirmação: «A importância estratégica que a temática da energia e ambiente assume justifica uma participação activa da sociedade civil na discussão dos caminhos a definir» (presumo que bom mesmo seria ficarmos todos parados e calados, sem ideia de que caminho escolher).

Ou seja, o Estado é mau porque gasta, porque não gasta e porque quer perguntar a quem de direito o quê e onde gastar.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 Responses to Preso por ter cão, por não ter e por pensar se será melhor ter ou não ter

Os comentários estão fechados.