Incertezas

Tendo estudado primeiro engenharia e depois (muito depois) ciências sociais, acho alguma graça a escaramuças como esta. Mas quando leio que existem coisas do calibre de um “Feminismo Ciborgue”, a solidariedade foge-se-me logo para o lado da Ciência.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 Responses to Incertezas

  1. Luis Moreira diz:

    Por este andar vamos deixar de ter mulheres de carne e osso para namorar.Mulheres meigas,arrebatadas, que gostem de homens, que adorem ser amadas.Ciborgue? Isto caminha para a desgraça!

  2. LA-C diz:

    Mas como é que foste ler esse manifesto ciborgue?
    Ias a atravessar a rua e de repente lembraste-te de fazer uma pesquisa no google com as palavras-chave “Cyborg Manifesto”?

  3. Dasse diz:

    “Tendo estudado primeiro engenharia e depois (muito depois) ciências sociais (…)”.
    Ninguém diria.

  4. Luis Rainha diz:

    LA-C,
    Um dos comentários ao post referido citava a prof.ª Daraway: «A natureza é também um trópos, um tropo. É figura, construção, artefacto, movimento, deslocação. A natureza não pode pré-existir à sua construção, à sua articulação em encontros sociais heterogéneos, onde nem todos os actores são humanos e nem todos os humanos são “nós”, como quer que se definam.»

  5. Um Cyborg feminino até nem é má ideia se for loira + burra + submissa + grandes tetas + insegura + vaidosa = fútil.

  6. Mais tretas do feminismo.

Os comentários estão fechados.