A malta já tinha reparado

«O PR, em consequência do próprio cargo, representa um grau de ameaça permanente». Mas lembrem-se sempre que podíamos ter lá o Manuel Alegre; a esta hora, não conseguiríamos dar três passos numa calçada sem ir de encontro a uma estátua do Grande Bardo.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 Responses to A malta já tinha reparado

  1. ALR diz:

    O roto continua por aqui.

  2. Luis Rainha diz:

    Não precisa de estar sempre a assinalar a sua presença, caramba!

  3. ALR diz:

    Quem cala, consente

  4. Rigoroso diz:

    Só se for a grande barda…merda!

  5. rvn diz:

    luis,
    Compreensível, mais uma vez. E de resto é um hábito antigo de Aníbal Cavaco Silva, quem não se lembra de quando era primeiro-ministro e já mandava isolar os acessos à praia que escolhia para passar o dia e onde chegava entre quatro guarda-costas de calção e pistola, com os consequentes mini-engarrafamentos de trânsito que deixavam toda a gente à beira de um ataque de nervos, num país pouco (ou nada, ao tempo) habituado a aparatos de segurança? Daí que esta decisão hoje anunciada pelo DN não seja menos que compreensível, na minha modesta opinião.

    A parte que eu não compreendo é outra, talvez me possam ajudar. O mesmo responsável, coordenador Leonel Carvalho, sentiu a necessidade de admitir que a privacidade do Chefe de Estado e a limitação de paparazzi serão um mesmo factor que estará na origem da medida. E por isso saiu-se com esta pérola que faria Brad Pitt rebolar-se de riso, mais a sua Jolie, com a parolice cá da terra: «As férias dos famosos atraem muito helicópteros carregados de fotógrafos», disse Leonel, entendido; «Naqueles aviões que passam por cima das cabeça das pessoas pode ir muita gente. É natural que o PR, com a sua família, deseje reserva em tempo de descanso».

    Não há ainda notícias do impacto destas declarações nas redacções da Rolling Stone, Fortune, Cosmopolitan, Life ou Time Magazine, entre outras. Mas consta que o 24Horas já mandou regressar Carlos Castro que, ao que dizem, pardalava feliz pelos céus de Albufeira com uma enorme pena de pavão espetada no ‘p’ de ‘paparazzi’. Enfim, num dos. Num dos quê? Num dos pês, naturalmente, já que paparazzi foi mesmo só este o que se conseguiu arranjar assim de mais parecido, muito à pressa, para animar as férias do Presidente.

  6. Zarco diz:

    A crer no título, é o PR que ameaça a segurança. De quem? E quem protege esse(s) “quem”?

Os comentários estão fechados.