Re: Debate sobre a Regionalização – a questão do Porto

Caro Pedro,
respondendo sinteticamente (e em estéreo):
1 – Muito obrigado pelos teus esclarecimentos. Desconhecia o facto de o centro histórico de Gaia já ter pertencido ao Porto, bem como o porto de Leixões. Eu sou favorável a municípios fortes, pelo que nada tenho a opor a essa putativa união (nem teria que me opor ou deixar de opor). Só referi essa questão porque achei graça à forma como ela foi posta no tal debate a que assistimos, na intervenção do público: houve quem falasse em o Porto “anexar” ou “absorver” Gaia. Achei graça à leviandade com que se falava em absorver, como se os gaienses, que presentemente até são mais que os portuenses (daí a minha sugestão de Gaia absorver o Porto), não fossem para ali chamados! Mas é preciso dizer que também houve quem falasse em “unir” Porto, Gaia e Matosinhos (sem falar em “absorver”).
2 e 3 – Essas são as questões mais interessantes. Haveremos de as continuar a debater. Mas mantenho a impressão de que ninguém anseia mais a regionalização do que o Porto, e na verdade muitos supostos regionalistas no Porto ambicionam mais do que a regionalização. Não é “Lisboa” ter medo do Porto: é o resto do país ter medo do separatismo. Basta considerar o discurso dos regionalistas mais inflamados – o que não falta são candidatos a Umberto Bossi.
4 – Sobre o estafado argumento “constitucional”, tu não o usas, e nem ninguém do Blasfémias (ninguém do Blasfémias defende a nossa constituição). Mas olha que há muita gente, principalmente à esquerda, que o usa. Suspeito mesmo que alguns elementos do Norteamos o apoiam. Já experimentaste perguntar-lhes?

Também foi um prazer conhecer-te pessoalmente, e até à próxima. Até lá haveremos de continuar a debater.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 Responses to Re: Debate sobre a Regionalização – a questão do Porto

Os comentários estão fechados.