Isto dos votos é uma chatice; e imprevisível, ainda por cima

Cavaco Silva ficou bastante contrariado com o desenlace do referendo irlandês. Chama-lhe agora “dificuldade”, um empecilho que requer do “governo irlandês uma solução para ultrapassar” o “erro” que mais uma vez se comprova ser sujeitar estas coisas importantes e complicadas à incerta apreciação das massas embrutecidas. É que, congemina o nosso erudito presidente, “o Tratado de Lisboa é demasiado importante para a Europa e para os seus cidadãos para que possa ser colocado na gaveta”; mesmo que os cidadãos a que diz respeito contra ele votem, entenda-se.

Sem querer ocupar o lugar de conselheiro presidencial, que está muito bem entregue a luminárias como o João Carlos Espada, sugiro desde já que Cavaco telefone ao mestre incontestado em encontrar “soluções” para lidar com resultados eleitorais inconvenientes e desfasados do que os grandes espíritos sabem ser certo para todos: Robert Mugabe.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

11 Responses to Isto dos votos é uma chatice; e imprevisível, ainda por cima

  1. Pingback: Os Tempos Que Correm » “Raça” democrática

Os comentários estão fechados.