Dez coisas a saber sobre John McCain

Depois de, nas primárias – a meu ver mal – ter apoiado um candidato (Barack Obama), o movimento de tendência democrata MoveOn resolveu finalmente eleger como seu adversário John McCain, não contribuindo para a divisão do Partido Democrata. E aponta-nos alguns factos dignos de registo, que são interessantes pelo que revelam não só do candidato mas também, principalmente, da direita norte-americana:

10 things you should know about John McCain (but probably don’t):

1. John McCain voted against establishing a national holiday in honor of Dr. Martin Luther King, Jr. Now he says his position has “evolved,” yet he’s continued to oppose key civil rights laws.

2. According to Bloomberg News, McCain is more hawkish than Bush on Iraq, Russia and China. Conservative columnist Pat Buchanan says McCain “will make Cheney look like Gandhi.”

3. His reputation is built on his opposition to torture, but McCain voted against a bill to ban waterboarding, and then applauded President Bush for vetoing that ban.

4. McCain opposes a woman’s right to choose. He said, “I do not support Roe versus Wade. It should be overturned.”

5. The Children’s Defense Fund rated McCain as the worst senator in Congress for children. He voted against the children’s health care bill last year, then defended Bush’s veto of the bill.

6. He’s one of the richest people in a Senate filled with millionaires. The Associated Press reports he and his wife own at least eight homes! Yet McCain says the solution to the housing crisis is for people facing foreclosure to get a “second job” and skip their vacations.
7. Many of McCain’s fellow Republican senators say he’s too reckless to be commander in chief. One Republican senator said: “The thought of his being president sends a cold chill down my spine. He’s erratic. He’s hotheaded. He loses his temper and he worries me.”

8. McCain talks a lot about taking on special interests, but his campaign manager and top advisers are actually lobbyists. The government watchdog group Public Citizen says McCain has 59 lobbyists raising money for his campaign, more than any of the other presidential candidates.

9. McCain has sought closer ties to the extreme religious right in recent years. The pastor McCain calls his “spiritual guide,” Rod Parsley, believes America’s founding mission is to destroy Islam, which he calls a “false religion.” McCain sought the political support of right-wing preacher John Hagee, who believes Hurricane Katrina was God’s punishment for gay rights and called the Catholic Church “the Antichrist” and a “false cult.”

10. He positions himself as pro-environment, but he scored a 0–yes, zero–from the League of Conservation Voters last year.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

17 Responses to Dez coisas a saber sobre John McCain

  1. “3. His reputation is built on his opposition to torture, but McCain voted against a bill to ban waterboarding, and then applauded President Bush for vetoing that ban.”

    Isto é mentira, Filipe. Eu próprio vi o McCain a atacar esta técnica de interrogatório e a chamar-lhe tortura. E quanto à “denúncia” imbecil por ele ser rico chega a ser risível, vinda de uma organização financiada pelo George Soros. Se achas que é assim que se influencia alguém, podes tirar o cavalinho da chuva.

  2. portuga diz:

    Fosca-se!Q interessa isto a nós,se temos a maior diferença entre ricos e pobres(exploradores/explorados,cientificamente falando e não com linguagem metafísica).Que raio de democracia q convive alegremente com a extrema acumulação de bense a miséria.Vão ali para os lados do Hospital de S.José para ficarem agoniados e baterem uma punheta pseudo intelectual.

    Ah!que é feita da teoria do Império?A URSS acabou,logo acabou o Império…

  3. Lidador diz:

    O Filipe tem razão. O Mccain é sulfuroso, tem cascos de bode e usa cornichos vermelhos.
    Além disso cheira mal dos pés e em pequeno tirava macacos do nariz.

    Pelo contrário os gajos do MoveOn, são aqueles génios que juram que foi a Matrix que deitou o WTC abaixo e de um modo geral herdaram a inteligência prospectiva dos seus ascendentes da extrema-esquerda, que tantos sucessos e alegrias deram ao mundo.

    Ah, claro, e nem sequer sonham que o Reverendo que rege a religião do Obama, é aquele cromo racista que brilhou aqui há semanas em prime time e que é grande amigo do compassivo Louis Farrakhan, outro benemérito da humanidade, a qual quer ver, o mais rapidamente possível, livre de “sionistas”.

    Mas, claro, o Filipe gosta é de mandamentos e homilias. São mais fáceis de entender…

  4. Saloio diz:

    Eu sei que este blog é composto por pessoas afectas à esquerda fashion, e por isso não me devia admirar da reprodução que esta posta faz, cujo conteúdo é, simplesmente, um exemplo da vacuidade e da injustiça.

    Não sendo Mac Cain o meu candidato, mas Hillary Clinton, não posso calar o sentimento de ridículo transcrito nas “10 coisas” que o escriba transcreve, e perguntar desde quando é que votar contra um feriado é anti-direitos dos cidadãos, desde quando é que votar contra um determinado programa é querer o mal dos ali visados, desde quando é que ter 8 casas é sinal de se ser anti-democrático (olha o Dr. Mário Soares), e desde quando é que as afirmações de “um senador republicano” completamente fora do contexto podem ser imputadas ao seu destinatário como negativas?

    Além das mentiras referidas pelos comentadores anteriores, o carácter vago, inócuo, gratuito e descontextualizado das “coisas” referidas, é o exemplo típico do jornalismo de fretes e de justificação de avenças, e eu não compreendo a sua inclusão aqui no “5 dias” que não seja com fins obscuros.

    Como este blog era feito por pessoas inteligentes e que mereciam o meu respeito e afecto, das duas uma: ou o efeito da posta é exactamente o contrário (ou seja: é um elogio a MacCain), ou então lastimo muito a falta de rigor e de carácter crítico do escriba de serviço.

    Este blog está diferente…digo eu.

  5. Algarviu diz:

    Vivam os Estados Unidos da América!
    Viva o Zimbabué!

  6. Luís, não duvido do que tenhas visto. Mas factos são factos, e lá que ele votou contra, votou. A posíção dele sobre isto é dúbia (como são muitas outras posições dele): vê por exemplo http://www.harpers.org/archive/2007/11/hbc-90001790 e http://www.huffingtonpost.com/tag/john-mccain-waterboarding

    Quanto à “denúncia” de ele ser rico, acho muito interessante que ela surja, principalmente nos EUA. É contra a impressão que temos do país, não é? Sinal dos tempos…

    Saloio, não sei nem me interessa se me respeita ou se me considera ou não inteligente. Agora essa da “esquerda fashion”, comigo… ó meu caro! Não lance acusações sem conhecer as pessoas. Eu não o conheço de lado nenhum e não admito que uma pessoa que não me conhece de lado nenhum me chame “esquerda fashion”.

  7. Estive a ler melhor o seu comentário (algo que não costumo fazer com comentários deste tipo). Não vi “mentira” nenhuma ser apontada (mentiroso é você por dizer que eu digo mentiras). Mas chamou-me a atenção você referir-se ao “Cinco Dias” como “jornalismo de fretes e de justificação de avenças” (eu nem sequer sou jornalista; aqui só há dois e nenhum faz fretes) com “fins obscuros” (o Soros?). Homem, trate-se.

  8. Saloio diz:

    Caro FM: tendo em conta o que atrás quer dizer, nomeadamente que só “lê melhor” os comentários que lhe são favoráveis…é bom que comece a ler mais qualquer coisinha sem ser o MoveOn antes de opinar como fez.

    Por outro lado, não me ponha uma pele que eu não tenho: eu nunca disse que o “5 dias” é jornalismo de fretes ou avenças – por isso aqui venho.

    O que eu disse é que a sua posta é medíocre, simploria e dum banalismo que não era normal nos outros autores mais antigos.

    Quanto a mentiras, releia sff o que o luís m. jorge lhe diz.

    O que o senhor (convém ter modos…) é ou não é, a mim não me interessa, mas esta sua posta (e só a posta, não o senhor…) mostra a todos que o seu raciocínio foi primário no seu ideário anti-MacCain – e isto que eu digo é só uma mera opinião dum anónimo, sem ofensas à sua pessoa ou condenações de fundo aquilo que o senhor pensa e defende.

    Que raio, já não se pode discordar…temos que dizer todos que sim bovinamente? Não se ofenda com tão pouco, acalme-se …e tenha um bom dia.

    Digo eu…

  9. “Luís, não duvido do que tenhas visto. Mas factos são factos, e lá que ele votou contra, votou. A posíção dele sobre isto é dúbia (como são muitas outras posições dele): vê por exemplo http://www.harpers.org/archive/2007/11/hbc-90001790 e http://www.huffingtonpost.com/tag/john-mccain-waterboarding

    Filipe, esta listinha de roupa suja da MoveOn parece mais um assassinato de carácter do que uma denúncia bem fundamentada das posições de alguém. Mas eu não vou lutar, mesmo a contrario, pela credibilização da extrema-esquerda americana.

  10. Tárique diz:

    Luís: “extrema-esquerda”, “mentiras”, e “não vou lutar”

    …. parece-me mais um assassinato de carácter do que uma denúncia bem fundamentada do post do Filipe.

  11. The Studio diz:

    Filipe,
    Muito bem. Agora escreve la’ qualquer coisa sobre o Obama… aquele referendo que norteou o Obama durante 20 anos nao e’ um que quer exterminar a raca branca?

    Saloio,
    Pelos vistos nao sou o unico a constatar que este blog esta muito diferente do que era ha’ uns tempos… e para pior. Aumentou muito a quantidade de posts e a qualidade variou na proporcao inversa.

  12. PJMOM diz:

    1Posso discordar da maioria das opções políticas do candidatoMcCain e se fosse norte-americano provavelmente votava Obama.
    2 O texto transcrito com as 10 críticas a McCain é da pior política o ataque pessoal e não político;
    3 Aliás baseado em métodos reveladores, por exemplo estritos juízos de valor, ainda por cima através de citação a quem o movimento não reconhece credibilidade (críticas 2, 5, 7, 9, 10) ou mascarados com um facto que não permite a conclusão (crítica 1);
    4 A única imputação de raiz política sustentadora de uma divergência política é a que surge no ponto 4;
    5 A crítica à riqueza de McCain também diz muito sobre quem a emana (até porque não há qualquer suspeita sobre a licitude da forma prosseguida para beneficiar dessa fortuna), a referência à tese dele sobre a crise imobiliária é truncada e descontextualizada, aliás a afirmação referida é apenas uma opinião pouco relevante e não confundível com as propostas políticas de McCain.
    6 A crítica 8 é uma vez mais cobarde aponta um facto (aliás não comprovado), através de uma citação, sendo certo que existem dados objectiváveis que podem ser ponderados com muito mais interesse sobre eventuais conexões – dinheiro entrado, número de apoiantes financeiros, principais montantes, interesses identificados que apoiam determinado candidato. Recorde-se que a actividade de “lobyist” é legítima nos EUA e pode ser convocada para «boas causas».
    7 A questão da posição de McCain sobre a tortura é a crítica mais significativa e reveladora da matriz dos seus autores. Numa crítica política dizia-se de forma clara que tortura é que McCain considera legítima, a verdade é que McCain defendeu não só a abolição da tortura como especificamente o waterboarding, que se insinua que ele apoia, tendo assumido não só uma crítica pública e com grande impacto das práticas pos 11 de Setembro e iniciativas específicas com vista à sua abolição.
    8 Este tipo de ataques não visam o fim apresentado, a derrota do campo adversário (não deve retirar um único voto a McCain) mas a conquista de espaço no terreno próprio (através de métodos conhecidos e utilizados em vários momentos históricos).

  13. Model 500 diz:

    Não tinha ideia que McCain era assim tão mau! Mas a avaliar pelos episódios descritos no post julgo que não restam dúvidas que o homem não é, de facto, flor que se cheire. Só não vê quem não quer. Em McCain não voto de certeza.

  14. Tárique diz:

    PJMOM: blablablabla … McCain votou , a 13 de Fevereiro de 2008, CONTRA a proibição da tortura WaterBoarding. “Intelligence Authorization Act for Fiscal Year 2008”

    O documento da MoveOn serve o seu propósito: desmascara a ideia de que McCain é “quase um democrata, mais moderado que Bush”

    É um documento curto, dirigido a democratas e tem o mérito de os espicaçar para ler isto

  15. Moi diz:

    “Pelos vistos nao sou o unico a constatar que este blog esta muito diferente do que era ha’ uns tempos… e para pior. ”

    A critica parece me injusta para o luis rainha, o ezequiel – este posta pouco o que é uma pena – ou o joao galamba

  16. Saloio diz:

    O FM ainda vai fazer campanha contra o Mac Cain dizendo que ele aos três anos puxou o rabo ao gato e aos cinco entornou a sopa.

    Digo eu…

  17. RB diz:

    “6. He’s one of the richest people in a Senate filled with millionaires. The Associated Press reports he and his wife own at least eight homes!”

    “Quanto à “denúncia” de ele ser rico, acho muito interessante que ela surja, principalmente nos EUA. É contra a impressão que temos do país, não é? Sinal dos tempos…”

    Já se estava mesmo a ver…

Os comentários estão fechados.