Serenidade olímpica

 16tibet-span-600.jpg

Estou capaz de jurar que ouvi hoje um senhor do comité olímpico português a clamar contra a mistura “entre o desporto e a política”. Que são coisas diferentes, dizia. Que seria impensável apelar a um boicote aos Jogos a propósito de algo tão comezinho quanto a repressão no Tibete. Mas claro que todos hoje sabemos que a “política” é suja e contagiosa. O espírito olímpico, mais os seus santos Mcpatrocínios, é que é coisa imaculada e salvífica, digo eu. Tudo menos tirar o circo à malta.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

13 Responses to Serenidade olímpica

Os comentários estão fechados.