As gajas não lêem “A Bola”

Considero o excelente semanário “Sexta” a melhor novidade dos últimos tempos na imprensa portuguesa. E não é por conhecer uma meia dúzia de pessoas que o fazem que o digo – a “Sexta” é mesmo algo que eu já não dispenso ao fim de semana.A “Sexta” é distribuída gratuitamente na rua, e como suplemento dos diários “Público” e “A Bola”. Esta semana foi feito um “Sexta” especial distribuído hoje, Dia da Mulher. Mas por alguma razão esta edição extra de um jornal cuja redacção é na Travessa da Queimada foi distribuída com o “Público”, mas não com “A Bola”!Compreendo que a esmagadora maioria dos leitores de “A Bola” seja do sexo masculino. Não deve ser preciso nenhum estudo aprofundado do mercado para isso. No entanto, será que nenhum dos leitores de “A Bola” tem mulheres, mães, filhas, namoradas? Será que nenhuma destas mulheres, que não vivam numa localidade com “Continente” e não comprem o “Público”, merece ler um suplemento dedicado à mulher? Se o “Sexta” é para distribuir com os dois jornais, “A Bola” e “Público”, não deveria haver excepções. Que diria Maria Margarida Ribeiro dos Reis, durante décadas sócia de “A Bola”, disto?

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

5 respostas a As gajas não lêem “A Bola”

  1. Maria João Pires diz:

    Ora ainda bem q,pelo menos,os leitores da Bola foram poupados aquele miserável exercício de publicidade encapotada.Devia haver (há?)uma qqr regra deontológica q proibisse um jornal usasse o seu grafismo inalterado para vender produtos Dove.

  2. JN diz:

    porque o jornal a bola não vai para casa ilustre
    qual é o homem que quer que se saiba que da leitura do jornal a bola?
    quem lê o jornal a bola quer ser levado a ser em casa.

  3. Maria João Pires diz:

    Errata: “de usar” em vez de “usasse”

  4. Filipa diz:

    Eu comprei a “Bola” da ultima sexta-feira e realmente não tive direito ao tal suplemento especial do “dia da mulher”, não compreendo porquê? Fui discriminada por ser mulher e por ter comprado um jornal considerado de “homens”!

  5. Um bocadinho forçada e parcial, Filipe, esta tua avaliação do “Sexta”, não? E não estou a pensar na edição de ontem em particular.

Os comentários estão fechados.